Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

Sérgio Sette Câmara e sua história

13 de abril, 2019
Jornal da Cidade BH Notícia boa também dá audiência!

Automobilismo. Minas Gerais já foi celeiro de grandes pilotos. Os mais antigos vão se lembrar de Toninho da Matta que por um triz não chegou à Fórmula 1. Tivemos também Cristiano da Matta e Bruno Junqueira que brilharam nas pistas internacionais, como a Fórmula Indy. Mas isso já faz muito tempo.

Esta lacuna, contudo, tende a ser preenchida agora com as investidas do belo-horizontino Sérgio Sette Câmara que se destacou no kart, quando era ainda criança e adolescente, passou pela Fórmula 3 Europeia, aposta suas fichas há dois anos na Fórmula 2 e em 2019 também conseguiu uma vaga para ser piloto de testes da McLaren, na Fórmula 1.

Será que Minas Gerais terá, depois de tanto tempo, um representante da principal categoria do automobilismo mundial? A torcida é grande e o esforço de Sérgio Sette Câmara para isso também.

Destaques na carreira

  • Pódio F3 em Spa-Francorchamps (Bélgica)/2015
  • Pódio F3 no Red Bull Ring (Áustria)/2015
  • Pódio F3 em Zandvoort (Holanda)/2015
  • 1ª posição na 4ª rodada do DKM (Copa de Kart da Alemanha)/2014
  • Campeão do Mundo – X30 World – Lyon – França/2012
  • Campeão de Minas Gerais de Kart/2012
  • Bicampeão Brasil GP de kart (Vespasiano/MG) / 2012
  • Campeão do Brasil Super Kart (São Paulo/SP) / 2012
  • Vice-campeão Brasileiro de Kart/2013
  • Vice-campeão do Copa Brasil de Kart / 2013
  • Bicampeão Brasil (Imperatriz/MA) / 2014
  • Campeão do Brasil Grand Prix de Kart (Vespasiano /
    MG) / 2014
  • Campeão do GP RBC de Kart (São Paulo) / 2014
  • Campeão do GP Sudeste – Cadete (MG/RJ/ES) / 2010
  • Campeão de Minas Gerais de Kart / 2009

Leia também: Sérgio Sette Câmara inicia trabalho como piloto de teste da Mclaren

Brincando de carro

O piloto mineiro conta que desde bem pequeno tinha uma atração enorme pelas pistas. “Não houve evento ou pessoa específica que me incentivou a ter interesse pelas corridas”, lembra. “Desde muito jovem gostava de brinquedos relacionados a carros e jogava videogames de Fórmula 1”, afirma.

Apesar de ninguém da família ser ligada ao automobilismo, Sérgio Sette Câmara salienta que o apoio dos pais sempre foi fundamental para o início e também na fase atual de sua carreira.

“Meu pai está junto comigo desde o começo. Ele acredita no meu potencial e, para ele, não importa se vai ou não dar certo. Estará sempre junto a mim”, afirma.  “Minha mãe e meu tio também me ajudaram muito nos estágios iniciais”, acrescenta.

Apoio da família

Sérgio Sette Câmara admite que mudar com apenas 10 anos de idade de Belo Horizonte para São Paulo – quando ainda estava no kart –  foi um dos momentos mais complicados, porque teve que parar de estudar e seus pais ficaram preocupados.

Por causa da rotina dos treinos e viagens não conseguiu terminar os estudos no Brasil, o que só foi acontecer quando se mudou para a Europa, com apenas 15 anos. “Poucos pilotos conseguem completar os estudos. Então me considero um privilegiado”, comenta.

A mudança para a Europa, ainda jovem, foi também muito desafiador. “Um dos momentos de maior comprometimento com aquilo que começou como uma brincadeira. E num esporte que não é tão atraente para a família, além de ser perigoso”, lembra. No entanto, Sérgio sempre demonstrou muita vontade, que todos o apoiaram.

Ele revelou também que quase desistiu da carreira ainda no kart, quando estava correndo na Europa e encontrou pela frente mais politicagem do que esporte.

“A nossa equipe estava focada em outros pilotos e acho que me viam como um cliente, não como um piloto que podia ganhar corrida. E é difícil tirar esse rótulo. Depois, mudamos para uma equipe menor e, logo na minha primeira corrida, eu já ganhei. Foi quando vimos que kart é equipamento puro. Na minha opinião, no kart europeu o equipamento conta muito mais que o piloto, muito mais que no Brasil”, afirmou.

Segundo o piloto, o kartismo no Brasil é tão forte quanto na Europa. “É um kart mais puro, enquanto na Europa é completamente controlado pelo dinheiro e pelas conexões que você tem”, assinala.

Leia também: Copa Bamaq de kart terá sete corridas





Objetivo: Fórmula 1

Como todo e qualquer piloto, o objetivo principal de Sérgio é alcançar a Fórmula 1.

Nascido em 1998, o piloto começou no kartismo em 2006. Depois de muita experiência e alguns títulos, o mineiro ingressou nas pistas internacionais do automobilismo em 2014.

Naquele mesmo ano fez sua estreia no Campeonato Europeu de Fórmula 3 pela equipe EuroInternational, como piloto convidado. Ou seja, não poderia pontuar para o certame.

No ano seguinte (2015), Sette Câmara ingressou definitivamente na Fórmula 3 Europeia. Ele teve um início de temporada ruim, afinal ainda se adaptava à categoria.

Mas na etapa de Spa-Francorchamps, na Bélgica, conseguiu seu primeiro pódio – ficou em terceiro lugar. Ele terminou a temporada na 14ª posição.

Em 2016, em sua segunda temporada na F3 Europeia, começou a ter bons resultados a partir do GP de Hungaroring, na Hungria. Contudo, a segunda metade da temporada não foi boa para Sérgio Sete Câmara que encerrou o ano na 11ª colocação.

Leia também: Sette Câmara renova com MRV para temporada 2019

 





Fórmula 2 no caminho

O piloto mineiro estreou na Fórmula 2 em 2017, pela equipe MP Motorsport. Para a temporada de 2018, Sette Câmara se transferiu para a Carlin e em 2019 mudou-se para a DAMS.

Residente em Barcelona, na Espanha, Ségio Sette Câmara garante estar na profissão certa. Ele simplesmente ama o automobilismo. “Definitivamente o que me dá mais satisfação são as técnicas que podem ser aplicadas, especialmente com corridas de carros, porque no kart este fator é bastante limitado”, analisa.

Arrojado na pista, mas sem deixar seu lado mineirinho, o piloto sempre se diz pronto para aprender. “Eu me sinto com muita fome para saber mais a cada dia e talvez um dia me tornar um piloto muito técnico. Eu quero crescer e a única maneira que posso fazer isso é trabalhar duro para evoluir – isso é o que me dá mais satisfação”, salienta.

Leia também: Sérgio Sette Câmara destaca apoio da Cemig





Preparação no CAR

Durante sua preparação, o mineiro utiliza os serviços do Centro de Alto Rendimento (CAR) da Espanha. É uma organização apoiada pelo governo espanhol, que oferece programas de treinamento e educação para mais de 350 atletas de todo o mundo para competir no mais alto nível internacional.

Perto de Barcelona, o CAR possui um centro médico, unidade psicológica, departamento de nutricionistas, uma unidade de ciência dedicada ao esporte e centro de fisioterapia.

Visão humanitária

Fora das pistas, Sérgio desempenha um papel para orgulhar os brasileiros, em especial os mineiros. Com sua visão humanitária com o objetivo de fazer algo às pessoas menos favorecidas, Sérgio Sette Câmara e sua família criaram o Instituto Sérgio Sette Câmara.

A instituição foi criada em 2012 e atualmente sua atividade social tem sido relacionada com a tratamento de crianças com paralisia cerebral. Ela trabalha em parceria com a Associação Mineira de Reabilitação (AMR) e custeia o tratamento completo de algumas crianças que sofrem desta doença.

Sérgio Sette Câmara acredita que pode ajudar de alguma forma estas crianças muito além da ajuda financeira. Sempre que ele está em Belo Horizonte faz questão de visitá-las para oferecer, principalmente, alegria, carinho e atenção.





Suporte financeiro

Como já dizia o super campeão de Fórmula 1, Jackie Stewart “No Money, No Race”, ou seja, “sem dinheiro não há corrida”, tanto para os certames, quanto para os pilotos.

Neste quesito, Sérgio Sette Câmara parece estar bem servido.

A Youse, plataforma de venda de seguros online da Caixa Seguradora é um dos patrocinadores do mineiro. A empresa tem sua identidade visual estampadas no carro e equipamentos que acompanharam Sérgio Sette Câmara na temporada F-2, em 2019.

Além da Youse, o piloto tem outras marcas de vários segmentos estampadas em suas vestimentas, acessórios e carro. São elas o BMG (instituição financeira), MRV (construtora), CCR (infraestrutura), CBMM (metalurgia), Gasmig (gás natural), Cemig (energia elétrica) e Copasa (água e esgoto).

Para a Youse, o destaque especial fica no capacete, que terá suas cores e a identidade visual da marca. De acordo com Sérgio, o desenho do capacete foi baseado em um rascunho feito por ele mesmo.

“Depois de desenhar e rascunhar o modelo, direcionei minhas ideias para o designer brasileiro Raí Caldato, responsável dentre outros pela pintura do capacete do Lewis Hamilton, que deu vida e um toque de agressividade ao layout que criei”, disse.

O seu capacete foi fabricado pela Bell Helmets e desenvolvido todo em fibra de carbono. Ele segue as determinações de segurança da FIA (Federação Internacional de Automobilismo).

Já o macacão foi desenvolvido pela Sparco, empresa especialista em macacões ergonômicos para pilotos, em tecido antichamas.

RAIO X 

  • Nome: Sérgio Sette Câmara
  • Data de nascimento: 23/05/1998
  • Altura: 1,69 m
  • Peso: 61 kg
  • Hobbies: Mountain Bike e Kart
  • Circuito favorito: Barcelona
  • Comida predileta: pão de queijo
  • Bebida preferida: água e Red Bull
  • Música: todas do Dire Straits
  • Assuntos preferidos na escola: História e Geografia
  • Heróis do automobilismo: Ayrton Senna e Sebastian Vettel
  • Residência atual: Barcelona, Espanha
  • Naturalidade: Belo Horizonte, Brasil
  • Redes Sociais:
    Twitter: @sergiosettecama
    Instagram: @sergiosettecama
    Facebook: sergiosettecamaraoficial
    Email: info@sergiosettecamara.com
    Site: www.sergiosettecamara.com

Outras notícias sobre o mundo do automóvel estão na sessão  Velocidade.

Sérgio Sette Câmara e sua história
5 (100%) 4 votos


Sobre Luis Otávio Pires:

Luís Otávio Pires, editor, 51 anos. Jornalista com cerca de 30 de experiência na profissão, já trabalhou em diversos veículos de imprensa de Belo Horizonte, como os jornais Diário da Tarde, Estado de Minas e Hoje em Dia. Também foi assessor de imprensa da General Motos. Formado na PUC-MG em Jornalismo e também em Publicidade e Propaganda, tem pós-graduação em Marketing. Em sua carreira, já participou de coberturas de eventos nacionais e internacionais, como Salões do Automóvel de São Paulo, Frankfurt, Paris, Detroit e Turim, além de ter sido repórter especializado em Fórmula-1 (anos 90). Além de editor do Jornal da Cidade, hoje atua como colunista da rádio BandNews FM BH (coluna Acelera).

×
Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!