Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

BH Minha Cidade: Pampulha

10 de agosto, 2019
Jornal da Cidade BH Notícia boa também dá audiência!

Passeio. Em volta da Lagoa da Pampulha, é possível conhecer construções que são Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco

A igrejinha São Francisco de Assis, o Museu de Arte, a Casa do Baile, e aquela lagoa enorme que reflete as estrelas em dias de “noites claras”. São algumas das construções que contribuem para que a Pampulha abrigue os principais cartões-postais de Belo Horizonte.

Quando o turista chega à capital mineira, a região é destino certo. Conhecer a Pampulha ainda ficou melhor depois que se tornou Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco. E se for a bordo da Jardineira antiga da década de 50, aí que os visitantes vão se sentir mais aconchegados.

Isso só é possível graças ao projeto do Museu de Objetos e Veículos Antigos (Mova) e da Belotur que desde 2016 realiza o Pampulha Retro Tour.

O passeio, que dura 1h20 em média, contempla a Igrejinha São Francisco de Assis, Casa Kubitscheck, Parque Ecológico, Zoológico, Museu de Arte da Pampulha (antigo cassino), a Casa do Baile, e o Iate Tênis Clube, que compõem o Conjunto Moderno da Pampulha.

Segundo o Mova, cerca de 6 mil passageiros pessoas até hoje já fizeram o passeio, entre eles turistas de todo Brasil e de outros países, como Alemanha, Estado Unidos, Argentina e Itália, além dos conselheiros da Unesco.

A Pampulha, contudo, tem outras maravilhas. Como o Mineirão, batizado de Estádio Magalhães Pinto.

Além de sediar jogos de futebol, com destaque para os clássicos do futebol mineiro, o Gigante da Pampulha ainda é palco de shows nacionais e internacionais, festivais de música, eventos corporativos. Na sua área externa, gratuitamente, o Mineirão recebe a população para diversas atividades de lazer.

Museu de Arte da Pampulha

FOTO DIVULGAÇÃO JC/PBH

Projetado para ser um cassino no início da década de 1940, o prédio foi o primeiro projeto de Oscar Niemeyer. Os jardins ao redor foram criados pelo paisagista Roberto Burle Marx e têm como característica principal as formas sinuosas, com grandes blocos ou manchas de cores, construídas com espécies da flora brasileira. No seu acervo destacam-se trabalhos de Guignard, Di Cavalcanti, Ivan Serpa, e Amilcar de Castro.

Casa do Baile

FOTO DIVULGAÇÃO JC/ACERVO BELOTUR

Inaugurada em 1943, a Casa do Baile, originalmente, funcionava como um salão de dança popular. Hoje, abriga o Centro de Referência em Arquitetura, Urbanismo e Design de Belo Horizonte. Com 300 m2 de área construída, a edificação está situada em uma pequena ilha artificial, às margens da Lagoa da Pampulha, ligando-se à via por ponte sinuosa, com vão de 11 metros. O paisagismo foi concebido por Burle Marx.

Iate Tênis Clube

FOTO MIGUEL AUN

O Iate Tênis Clube é uma das quatro obras projetadas por Oscar Niemeyer no início dos anos 1940 e apresenta o modernismo arquitetônico brasileiro ao mundo. No seu interior, encontram-se áreas de festas e de convenções, como o Salão Portinari, ornamentado com painel de Cândido Portinari, e o Salão Espelho D’água com obras de arte de Estergilda Meniccuci.

Capela São Francisco de Assis

FOTO DIVULGAÇÃO JC/MOVA

Construída em 1945, a Capela São Francisco de Assis foi consagrada a funcionar como um templo religioso apenas em 1959. Principal cartão-postal de BH, a Igrejinha da Pampulha é considerada uma grande inovação arquitetônica. Seu interior abriga a Via-Sacra, composta por quatorze painéis de Cândido Portinari. Os jardins são assinados por Burle Marx e os baixos-relevos em bronze foram esculpidos por Alfredo Ceschiatti.

Mineirão

FOTO EVERALDO VILELA

Batizado de Estádio Governador Magalhães Pinto, o Mineirão foi inaugurado em 1965. Palco de jogos importantes do futebol dos clubes mineiros da capital (Cruzeiro, Atlético e América), também sediou a Copa do Mundo Fifa de 2014. Em 2003, foi tombado pelo Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural do Município de Belo Horizonte. Hoje é administrado pela Minas Arena, que realiza shows e grandes eventos de todos os gêneros.

Jardim Zoológico

FOTO SUZIANE FONSECA

O Jardim Zoológico pertence à Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica e existe desde 1959. Possui cerca 3 mil animais de mais de 250 espécies entre répteis, aves, anfíbios e mamíferos. O Borboletário e o Aquário do Rio São Francisco são equipamentos que também podem ser visitados durante o passeio. Seu Jardim Botânico é reconhecido por suas pesquisas e coleções raras.

Parque Ecológico

FOTO DIVULGAÇÃO JC/ FUNDAÇÃO ZOO BOTÂNICA

Conhecido como Parque Ecológico da Pampulha, o Parque Ecológico Francisco Lins do Rego foi inaugurado em 21 de maio de 2004. É resultado de uma história de recuperação ambiental. Com 30 hectares de áreas verdes, é propício para caminhadas, para andar de bicicletas, praticar slackline, soltar pipa, fazer piquenique e descansar.

Casa Juscelino Kubitschek

FOTO LUCIANO COUTINHO

Projetada em 1943 por Oscar Niemeyer para ser a residência de fim de semana do então prefeito de BH, a Casa Juscelino Kubitschek possui jardins do paisagista Roberto Burle Marx e telhado em forma de asa de borboleta e planos inclinados. Hoje dedica-se a contar a história de uma casa modernista dos anos de 1940, 1950 e 1960, através de espacializações, objetos e estímulos sensoriais.

 

BH Minha Cidade: Pampulha
5 (100%) 2 voto[s]


Sobre Jornal da Cidade BH:

Portal de notícias de BH e região, com informações sobre eventos empresariais, negócios, economia, política, cobertura social e muito mais.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário

×
Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!