Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

Mamãe e papai se separaram, e agora?

06 de outubro, 2017
Jornal da Cidade BH Notícia boa também dá audiência!

Esse pode ser um dos momentos mais difíceis para a família, carregado de incertezas, insegurança, tristeza e, muitas vezes, conflitos. Mas não precisam se desesperar. Basta apenas aprender a melhor maneira de lidar com essa situação para evitar consequências ruins. Vamos lá?

Se os filhos forem pequenos, é importante que seja dito a eles, de forma bem clara e amorosa, que eles não têm nenhuma responsabilidade pela separação dos pais. É muito comum que os filhos menores acreditem que os pais brigam ou se desentendem por culpa deles, pois, nessa fase, a criança ainda vive num mundo restrito, ligada diretamente aos pais, bem em torno dela mesma, e, ainda, quase cem por cento no seu imaginário. E a coisa mais importante para ela é esse amor que vem dos pais.

Os pais devem prestar atenção para não envolver os filhos nas questões que dizem respeito somente, e tão somente, ao casal. Não fazer filho de confidente nem de garoto de recados, quero dizer, contar intimidades ou problemas do casamento ou de novos relacionamentos, e nem usar esse filho para se comunicar com o ex-cônjuge: isso pode ser devastador para o filho. Muita coisa já vai respingar nos filhos, mesmo sem os pais terem a intenção, então, vamos ser muito cuidadosos com eles e protegê-los ao máximo desse sofrimento que pode ser evitado.

Com a separação, nesse primeiro momento, é como se eles se sentissem ameaçados ou desamparados: vou perder esse amor que é tudo para mim! Por isso, são fundamentais essas explicações de como ficará a família, e cabe aos pais dizerem que esse amor não mudará, eles continuarão sendo amados por esses pais da mesma maneira. Isso deve sempre ser falado e reforçado constantemente. Não achar que eles já sabem: não sabem, e por isso é preciso que os pais falem e expliquem, para que não fique dúvida alguma.

E o que muda? Bom, poderá haver algumas mudanças do lugar onde moram, às vezes, mudança de escola em função da localização da nova casa, e a definição de com quem irão morar, se com o pai ou a mãe. É preciso lembrar que a família não acabou. Será um rearranjo familiar: ela irá se estruturar de uma outra maneira.
Sempre que houver esse formato de um novo casal e filhos, pai e filhos, mãe e filhos, será uma família. Um pai ou uma mãe, ou alguém que cuida e é responsável pelo filho é uma família. O ponto principal é o afeto que existe naquele núcleo, e esse é o ingrediente que não pode faltar.

A estrutura pode ser mamãe com namorado, ou o papai com a namorada, pai ou mãe com novo marido ou mulher, dois papais, duas mamães, um pai ou uma mãe, novas formas de se desenhar a família, de dar proteção e segurança para esses filhos, e principalmente, amor.


Sobre Jornal da Cidade BH:

Portal de notícias de BH e região, com informações sobre eventos empresariais, negócios, economia, política, cobertura social e muito mais.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário