Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

II Colóquio Acadêmico Nacional de Medicina

13 de novembro, 2017

Saúde. A proliferação de faculdades médicas no Brasil e o crescente índice de suicídio entre médicos e estudantes estão entre os temas principais do “II Colóquio Acadêmico Nacional de Medicina”. O encontro começa hoje e acaba sábado, reunindo em Belo Horizonte a maioria das Academias de Medicina do Brasil, sendo promovido pela Academia Mineira de Medicina (AMM) em conjunto com a Federação Brasileira de Academias de Medicina (FBAM).

A programação promove debates sobre a assistência, a pesquisa e o ensino médico, avaliando os panoramas e cenários da graduação e pós-graduação no Brasil. Os palestrantes são médicos reconhecidos nacional e internacionalmente, como o presidente da Academia Nacional de Medicina (ANM) e membro da Academia Internacional de Ciências e da Academia da França Jorge Alberto Costa e Silva, o presidente da FBAM José Hamilton Maciel da Silva e o secretário geral do Conselho Federal de Medicina (CFM) Henrique Batista e Silva, entre outros.

O presidente da Academia Mineira de Medicina, o médico psiquiatra Raimundo Lippi, explica que a qualidade do ensino da medicina se tornou uma questão de grande importância nos últimos anos, em decorrência da crescente abertura descontrolada de escolas de medicina no Brasil. O colóquio promoverá um amplo debate sobre o assunto com a presença de representantes de diversas academias e associações de medicina, assim como membros da Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Cnpq).

A saúde mental dos médicos é outro tema importante e polêmico na programação do evento. A recorrência de casos de depressão e suicídio entre os profissionais e universitários é uma das preocupações da Academia Mineira de Medicina, considerando que o exercício da profissão exige bastante controle emocional. “Os médicos padecem de estigmas e expectativas sociais, pois são reconhecidos, mas, também, constantemente, cobrados para nunca errar”, afirma Lippi. Os debates sobre o perfil mental dos médicos serão fazem parte da programação do evento no sábado com a participação de representantes de universidades e faculdades de medicina, alunos e coordenadores do Centro de Atenção Psicossocial (Caps) de Belo Horizonte.
A programação completa do evento está disponível em www.sympla.com.br/2-coloquio-academico-nacional-de-medicina__202001. O II Colóquio Acadêmico Nacional de Medicina acontece no Centro de Convenções do Hospital Mater Dei (avenida do Contorno, 9.000 – Barro Preto, Belo Horizonte).

Fotos: Divulgação