Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

DISTÚRBIOS DO SONO

18 de outubro, 2017
Jornal da Cidade BH Notícia boa também dá audiência!

Insônia. A rotina estressante e o ritmo frenético das grandes metrópoles provocam noites de insônia para muitas pessoas. A insônia é considerada uma epidemia global que ameaça a saúde e a qualidade de vida de até 45% da população, conforme pesquisa da Associação Mundial de Medicina do Sono. A instituição alerta que o mundo vive uma epidemia de restrição ao sono e os distúrbios são um fator de risco para transtornos mentais, como depressão e ansiedade.

A estimativa é que quatro a cada dez pessoas não dormem bem e, o pior, é que, na maioria dos casos, não é identificado como uma doença tratável, pois, menos de 10% das pessoas que apresentam esses sintomas, reconhecem isso como um problema de saúde que requer tratamento, para muitos, dormir mal faz parte do cotidiano. Os distúrbios do sono podem ser causados por diversas causas, sendo o estresse e a preocupação os maiores inimigos. Atualmente, já foram identificados mais de cem tipos de transtornos que comprometem o sono. Os mais comuns são insônia, os distúrbios respiratórios e de movimento.

O neurologista do Hospital Vera Cruz Felipe Sales explica que o sono tem quatro fases, sendo cada uma delas responsável por uma atividade diferente. “Durante as três primeiras fases do sono, o corpo economiza energia, promove a restauração de tecidos, o aumento da massa muscular e libera o hormônio de crescimento. Na última fase do sono, conhecida como fase REM, acontece a consolidação da memória e do aprendizado“, explica. Quando alguém está dormindo e é acordado, volta, imediatamente, à fase um do sono, comprometendo o processo e qualquer interrupção gera prejuízo, a curto e longo prazo.
As olheiras expressivas, a aparência de cansaço, o mau humor, a baixa imunidade, a falta de concentração e a queda na produtividade são apenas algumas das consequências causadas pela insônia. O Tecnólogo em rede de computadores Wesley Pereira Martins, 25 anos, sofre com os transtornos de sono, desde os cinco anos de idade. “Quando criança, tive alguns episódios de sonambulismo, de acordo com meus pais e, por várias vezes, andei pela casa durante a noite. Depois de adulto, passei a ter insônia decorrente do transtorno de ansiedade,” conta.

Os transtornos comprometem, consideravelmente, o cotidiano das pessoas, afetando, principalmente, o trabalho, deixando o insone mais preocupado e estressado. Martins afirma que procurou ajuda médica, quando observou que a insônia estava interferindo na sua produtividade profissional. “Fiquei bastante improdutivo, pois chegava para trabalhar extremamente exausto, não tinha paciência com as pessoas, sentindo muitas dores de cabeça”, relata.

Quando a dificuldade em dormir persiste por mais de três dias, é sinal que algo está errado e é hora de procurar um especialista para diagnosticar o tipo de problema e tratamento. A falta de tratamento pode agravar o quadro de insônia e, consequentemente, desencadear distúrbios de memória e concentração, ansiedade, depressão, irritabilidade, baixo rendimento profissional, prejuízo no convívio social e aumento do risco de acidentes com veículos automotores. Uma boa noite de sono ajuda na concentração, criatividade, humor e convívio social, além de ser crucial para garantir a qualidade da saúde física.

Foto: Divulgação

Avalie este conteúdo


Sobre Jornal da Cidade BH:

Portal de notícias de BH e região, com informações sobre eventos empresariais, negócios, economia, política, cobertura social e muito mais.