Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

Campeonato reúne baristas renomados em São Lourenço

15 de agosto, 2019
Jornal da Cidade BH Notícia boa também dá audiência!

Café. O Campeonato Brasileiro de Barismo reúne os principais profissionais especializados em cafés de alta qualidade a partir desta sexta, 16, até domingo, 18, na Praça Brasil, em São Lourenço, no Sul de Minas.

Com transmissão pela Internet para 23 países, o torneio será disputado entre 42 baristas renomados do País, nas categorias Coffee in Good Spirits, que destaca as habilidades de mixologista do barista, com a combinação de cafés e bebidas alcóolicas; e Latte Art, na qual os profissionais devem demonstrar criatividade na execução de desenhos no café, utilizando leite.

O vencedor representará o Brasil no Campeonato Mundial da Modalidade de 2020, na Austrália.

Leia também: Sorvetes esquentam o inverno mineiro

Atrações variadas

O São Lourenço Coffee Music terá outras atrações além do Campeonato de Barismo. A programação inclui workshops, palestras, rota do café especial (para as pessoas acompanharem todo o processo de produção, do pé à xícara), Coffee Sunset (pôr do sol com café) e até um voo de balão sobre a Fazenda Sertão, uma das principais propriedades produtoras da região.

Haverá também diversos shows musicais. Tudo acontece numa enorme tenda de 2 mil m2, com expectativa de receber cerca de 3 mil pessoas nos três dias de evento.

Segundo o diretor da Production Eventos, Milton Furtado, Minas Gerais ocupa uma posição de destaque no cenário do café no Brasil, com 50% da produção nacional. “Isso já justifica o Estado ser o palco ideal para a realização de um evento importante como este”, observa o organizador, que lançou mão da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais para realizar o projeto.

Leia também: Espaço do Ar apresenta múltiplas experiências

Mercado importante

Maior commodity do mundo, o café também possui extrema importância na economia do País e o segmento de produtos especiais merece destaque neste contexto.

O Brasil produziu um total de 61,7 milhões de sacas de 60 quilos em 2018, mantendo a liderança do ranking mundial. Desse total, segundo a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), cerca 10 milhões de sacas se referem a grãos especiais, das quais 9 milhões foram destinadas à exportação.

Isso gera uma receita da ordem de US$ 1,6 bilhão, ou 21,6% do total de US$ 7,4 bi de toda a cafeicultura. As outras 1 milhão de sacas foram absorvidas pelo consumo interno.

O café, de uma maneira geral, é o quinto item no ranking da balança comercial do agronegócio brasileira, com aproximadamente R$ 25 bilhões em Valor Bruto da Produção (VBP) em 2018 e responde por 6,5% do total agro do Brasil de R$ 383,87 bilhões.

Os embarques para o exterior do produto também apresentam números importantes. Eles geraram receita cambial de US$ 5,3 bilhões na safra 2018/19 (julho/18 a junho/19) através da remessa de 41,1 milhões de sacas ao exterior.

Leia também: 22º Festival Cultura e Gastronomia Tiradentes

Workshops e palestras

Os visitantes do São Lourenço Coffee Music poderão participar, gratuitamente – respeitando o limite de espaço – de vários workshops e palestras. Veja alguns:

  • Cafeterias e Tendência de Consumo (Mariana Proença, da Revista Espresso);
  • A Ciência da Torra (Francisco Rabelo, mestre e instrutor de torra);
  • Varietais Exóticas, Fermentações e Tendências de Mercado (Luiz Paulo Filho, diretor da Exportadora Carmocoffees);
  • A Qualidade da Água e sua Influência no Preparo do Café (Luiz Salomão, diretor da empresa Bunn);
  • Café e Saúde – Mitos e Verdades (Alex Ribeiro, médico da Unimed Circuito das Águas);
  • Projeto Florada e Rituais – Linha de Cafés Especiais da Três Corações (Carolina Barreto, da Café Três Corações).

Entrevista/Gabriel Guimarães

Barista Gabriel Guimarães

Mineiro defende o título em casa

Atual campeão brasileiro da modalidade Coffee in Good Spirits, que destaca as habilidades do competidor, com a combinação de cafés e bebidas alcóolicas, o mineiro Gabriel Guimarães irá defender o título em casa.
Além das provas do ramo, ele também é responsável pela capacitação de outros profissionais. “Sei que haverá a pressão de estar em minha cidade, mas acredito estar bem preparado. Treinei muito e vamos mostrar uns drinques bem legais”, afirmou.

Nesta entrevista ao JORNAL DA CIDADE, ele explica os desafios de um torneio importante como este que acontece durante o São Lourenço Coffee Music.

Quais as principais dificuldades neste tipo de competição?
Toda competição de barismo tem um nível de exigência muito alto e algumas peculiaridades. Existem estudos técnicos para entender como harmonizar os ingredientes com a bebida. Digo que criar drinques é experiência de vida. Você pode usar de muitas situações que podem virar bebidas. Outra dificuldade é de fato o processo de criação. Ele é lento e trabalhoso.

Qual o investimento feito por um profissional para ser barista?
Acaba que há um custo alto. Você tem que investir em capacitação, em equipamentos e na própria bebida, como o café e as outras que vão se misturar a ele. Além de muito treinamento.

E como é este treinamento?
Às vezes pode durar anos para você deixar seu drinque pronto para competir. Gastei dois anos de teste para chegar a receita com que fui campeão. Cheguei a participar antes com a mesma bebida na prova de uma no anterior e fiquei em segundo. Por isso é importante você aprimorar, fazer ajustes, até o preparo se tornar algo mecânico. Existe um processo de construção para criar algo que faça sentido para o competidor apresentar para o júri. É preciso ter um drinque que seja comercialmente viável, por exemplo. Enfim, há uma série de aspectos que a gente precisa analisar.

É necessário ter controle emocional durante o campeonato. Como você lida com possíveis imprevistos?
A competição é um julgamento e contra outros profissionais muito fortes. Claro que o nervosismo existe, mas a gente se prepara para isso também. Depois que a bebida está formatada, você precisa desenvolver uma apresentação. Tem um limite para apresentar para o jurado, quais são as sensações, as notas de sabor e se que aquele drinque vai trazer bom para quem for consumir. Maior dificuldade é treinar este processo, não se pode estourar o tempo.

Como é sua experiência internacional no barismo?
Estou há 10 anos no ramo e já participei de diversas provas no exterior também. Em junho deste ano, por exemplo, estive em uma competição na Alemanha, que é a modalidade de drinques alcóolicos com café e fiquei em 20º lugar. Sou o brasileiro mais bem colocado desde 2015 nesta prova.

Serviço:

São Lourenço Coffee Music
Local: Praça Brasil, em São Lourenço (MG)
Data: 16, 17 e 18 de agosto de 2019
Horário: de 10h às 24h, na sexta-feira (16) e sábado (17); e de 10h às 19h, no domingo (18)
Outras informações: www.productioneventos.com.br





Fotos: Production Eventos

Outras notícias sobre turismo acesse aqui.

Campeonato reúne baristas renomados em São Lourenço
5 (100%) 1 voto[s]


Sobre Luis Otávio Pires:

Luís Otávio Pires, editor, 51 anos. Jornalista com cerca de 30 de experiência na profissão, já trabalhou em diversos veículos de imprensa de Belo Horizonte, como os jornais Diário da Tarde, Estado de Minas e Hoje em Dia. Também foi assessor de imprensa da General Motos. Formado na PUC-MG em Jornalismo e também em Publicidade e Propaganda, tem pós-graduação em Marketing. Em sua carreira, já participou de coberturas de eventos nacionais e internacionais, como Salões do Automóvel de São Paulo, Frankfurt, Paris, Detroit e Turim, além de ter sido repórter especializado em Fórmula-1 (anos 90). Além de editor do Jornal da Cidade, hoje atua como colunista da rádio BandNews FM BH (coluna Acelera).

Senha o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário

×
Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!