Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

Layback Blues Festival traz nomes renomados da cena blues de BH e internacional

07 de fevereiro, 2020
Jornal da Cidade BH Notícia boa também dá audiência!

Evento. Com o apoio do renomado guitarrista de blues mineiro Bruno Marques, a produtora Play Cultural inicia suas atividades em 2020 em parceria com o Layback Park, lançando o primeiro Layback Blues Festival.

Depois do adiamento, feito devido as condições climáticas em Belo Horizonte, o Festival volta com força total para um dos lugares mais “cool” da cidade, o Layback Park e reunirá, agora seis bandas de blues, sendo uma diretamente de Chicago, representada pelo Bluesman Breezy Rodio, e ainda contará com uma grande Jam Sessions final para encerramento com chave de ouro.

Essa celebração ao blues acontecerá neste sábado, 8, no espaço Layback Park – Vale do Sereno/Vila da Serra, na divisa entre Belo Horizonte e Nova Lima.

Para o idealizador do Festival e produtor cultural, Fred Barros, o evento será uma reunião de diferentes bandas de blues da cidade, que por onde transitam, arrancam suspiros e aquele velho e bom pedido de mais um. De acordo com Barros, “esse festival foi motivado pela oportunidade de receber o músico americano Breezy Rodio, nascido em Chicago. Breezy está em turnê por terras mineiras e que por intermédio do produtor e guitarrista de blues, Bruno Marques, foi oferecido para se apresentar no Layback Park”.

Tendo em vista essa oportunidade, Fred Barros decidiu logo dar as boas vindas ao músico Norte Americano, criando o festival e, dessa forma, proporcionando para o público do Park, de BH, de Nova Lima e de toda a região, um dia inteiro de cultura Blues, com shows, participações especiais, Jam Sessions, exposições,  e tudo isso com entrada gratuita.

O Layback Park é um espaço democrático e agregador, que já vem promovendo a cena blues da cidade, principalmente por meio das apresentações no salão gastronômico do Park, comandadas pelo músico Alexandre Araújo, que é presença confirmada no festival. Outros nomes como Shello Blues, Auder Jr, Ivan Correa, César Santos e a banda Thunder Blues já se apresentaram no Park.

Com realização da Play Cultural e Layback Park BH, e a co-produção da Marques Produções, o Festival promete unir skate, música de qualidade, a boa gastronomia que o Park oferece e atividades artísticas para o público, como exposições fotográficas do paulistano Sérgio Poroger, e também do artista plástico Marcos Kaoy, com a mostra Mississipi e seus mojos, recém apresentada no sul do pais no maior festival de blues da América Latina que ocorreu em Caxias do Sul, o Mississipi Delta Blues Festival.

O LayBack Park já é conhecido pelas suas filiais em Florianópolis, São Paulo e Brasília, é um complexo cultural que une skate, arte, música e gastronomia e tem o projeto de expandir por todo país. Em pouco mais de três meses inaugurou o seu espaço em BH, mais precisamente no Trevo Seis Pistas em Nova Lima, e já é referência na cidade.

Os sócios do Park acreditam que o Festival se trata de mais que uma celebração ao Blues, mas uma chance do público viver uma experiência inusitada. “Nada melhor que um skatepark, com um projeto tão inovador, para receber tantas bandas e ainda uma Jam Session que pretende unir alguns dos melhores músicos de Belo Horizonte. Está sendo muito gratificante juntar esporte e música de qualidade em um só evento e nos sentimos muito honrados com o apoio dos artistas que abraçaram a causa com tudo. Podemos considerar que o LayBack, depois desse festival, será mais uma casa para curtir um bom blues na cidade”, conclui Diogo Kfoury, um dos sócios do LayBack Park.

ATRAÇÕES MUSICAIS:

Breezy Rodio feat Bruno Marques

Guitarrista e vocalista da nova geração de Blues de Chicago. Artista contratado da Delmark Records. Mantem um som clássico, influenciado pelos mestres Albert King, Ray Charles, BB King, T-Bone Walker, Albert Collins, Earl Hooker, Lightnin’Hopkins e Robert Johnson. Breezy é a mistura do passado com um pé no futuro.

Por qualquer padrão, a odisseia de blues do Breezy Rodio percorreu muito mais quilômetros do que a maioria dos músicos mais promissores que agora estão no competitivo circuito de Chicago. Em 2007, Rodio se juntou à banda do guitarrista Linsey Alexander, conhecido como “The Hoochie Man”, para seus muitos fãs dedicados.

Breezy logo avançou para um papel de líder de banda, o guitarrista trabalhando em seu CD de 2010 If You Ain’t Got It, além dos dois álbuns aclamados de Linsey, Delmark, Been There Done That de 2012 e seu mais recente lançamento em 2014, Come Back Baby . Mas Rodio também encontrou tempo para fazer suas próprios trabalhos. Seu álbum de estréia de 2011 Playing My Game Too com um elenco de apoio estelar que incluía os guitarristas convidados Lurrie Bell, Rockin ‘Johnny e Dave Herrero e o baixista Bob Stroger, juntamente com Alexander e Guy King foi um sucesso. Em 2015, Breezy lança seu segundo álbum, So Close to It. O álbum obteve críticas muito favoráveis em todos os cantos do mapa. Ele alcançou o segundo lugar em todo o país na categoria Chicago Blues no Roots Music Report, a parada musical número um no mundo.

Em So Close To It, Breezy reafirma seu domínio nítido e limpo da guitarra elétrica de blues, exibindo um forte senso de tradição e provando ser um vocalista convincente também. Ele convidou outro quadro dos principais luminares de blues de Chicago para se juntar a ele, liderado pelo extraordinário harpista Billy Branch, pelo violonista Bell e pelo pianista Ariyo. O mestre do Hammond B3, Chris Foreman, também está a bordo, juntamente com os principais artistas de jazz Art Davis e Bill Overton, respectivamente, em trompete e saxofone. Ele viajou pelo Japão duas vezes, tocando em clubes e festivais, depois embarcou em três turnês pela América do Sul, duas pela Europa, além de passeios pelo Canadá e México.

Seu último CD, “Sometimes the Blues got me”, brilha com linhas de guitarra limpas, tocadas com maestria e arranjos macios e ricos em camadas, em que as buzinas evocam as primeiras orquestrações de TBone e BB Incorporating: nódulo, balanço, salto, shuffle duplo precoce, baladas e funk, o árduo e ambicioso Breezy Rodio mostra seu domínio do violão, abrangendo a amplitude de seus interesses, desde a década de 1940 pule o blues até o blues urbano de hoje.

Bruno Marques, guitarrista e produtor cultural, formado em Música, proprietário da Marques Produções, líder do Bruno Marques Band, Taxman Blues, Horizonte Blues Band e MOJO. Está em destaque na cena do blues de Belo Horizonte. Já tocou ao lado de grandes nomes do Blues, como os americanos Lurrie Bell, Jimmy Burns, Harmônica Hinds, Lorenzo Thompson, Super Chikan, Maurice John Vaughn, Birdlegg, Lil Jimmy Reed, Shy Perry, Bill HowIN-Madd Perry, Terry Harmônica Bean, Little Joe McLerran e Omar Coleman, Flávio Guimarães (Blues Etílicos), Marcelo Frias/Secos e Molhados (ARG), Xime Monzon (ARG), Los Mind Lagunas (MEX), Quique Gomez (ESP), Big Creek Slim (AUS) e com grandes músicos da cena efervescente de blues de Belo Horizonte.

É idealizador e produtor do Rota do Blues, que ocorre em diversas datas durante o ano e consiste em trazer para o Brasil, artistas Internacionais genuínos do Blues. O projeto já contempla 10 capitais do Brasil, além de diversas cidades do interior de Minas.

Alexandre Araujo Prog Blues

Alexandre Araújo é o precursor do blues em BH e MG. Em sua trajetória, completou recentemente 32 anos na estrada do velho e bom blues. No ano de 1988 criou a primeira banda de blues em BH intitulada Aeroblues. Já em 90 percorreu as principais cidades do interior de Minas Gerais e capitais do Brasil com sua escola itinerante de blues, promovendo shows, workshops e criando bandas por onde passava. Incentivou vários músicos que hoje se destacam na cena blues em Minas e no Brasil. Também na década de 90 abriu o show de Ray Charles Orquestra em BH no parque das Mangabeiras e esteve com BBKING emduas  ocasiões.

Ganhou o prêmio BDMG Instrumental em 2000 e lançou o seu trabalho autoral intitulado Berim Blues com o qual fez turnê nos EUA a convite da USIS no Estado do Colorado e lançou um CD com edição limitada em 2004 intitulado “15 anos Blues”. Participou de grandes festivais como Ouro Preto Blues, Brumadinho Gourmet, BH Soul Blues, Dipanas, Saberes & Sabores de Araxá, Camping Rock, Sesc Paulista, Sabará Fest Blues e outros. Em 2018 participou do Festival Internacional Tudo é Jazz, em Ouro Preto, junto com Wilson Sideral Tropical Blues, Affonsinho, Bauxita e a Blue Heart. Abriu o show do lendário blues man de Louisiana Lii Jimmy Reed e fez o encerramento do XI Soul Blues Festival. Em 2019  novamente no Camping Rock edição 20 anos dedicada a Marco Antonio Araújo seu Irmão.  Com sua Prog Blues fez uma linda releitura de Abertura n’2 celebrando este inesquecível compositor mineiro .

Alexandre tem uma energia vigorosa que é a tônica de suas apresentações. Com uma performance alegre, criativa e feeling como pede o velho e bom blues. Como guitarrista solo participou na década de 70 e 80 de toda obra do inesquecível compositor Marco Antonio Araújo seu irmão.

Soul Much Blues

A banda Soul Much Blues apresenta clássicos dos dois gêneros da música negra norte-americana que dão nome à banda.

O espetáculo tem canções que ficaram famosas nas vozes de Etta James, Koko Taylor, B.B. King, Eric Clapton, Joss Stone, Buddy Guy, Allman Brothers, Stevie Ray Vaughan e muitos outros.

Neste festival, o grupo será formado por Laura Lima (lead vocal), Márcio Perez (guitarrista da Flaming Boys, convidado especial), Leo Lima (tecladista), Rod Vaz (baixista) e Benny Cohen (baterista).

A banda estreou em dezembro de 2017 e já se apresentou, em BH, no Museu do Clube da Esquina, Major Lock Pub, Mocca Café, Maria das Tranças, Cervejaria Backer, Estação Santê, A Freguesia, Chopperhead Garage e em muitos outros bares e restaurantes da capital.

Também se apresentou nos projetos Sindicato do Blues, em Belo Horizonte, e três vezes no Festival Blues Verão, em Casa Branca (Brumadinho); no Fliaraxá, edições 2018 e 2019; no Buena Vista Jazz e Blues Festival (Sete Lagoas e Pça da Savassi), no BH Soul e Blues Festival 2018 (Stonehenge) e no Festivais de Blues do Freud Bar e do Amadoria, além de marcar presença em outras cidades mineiras, como Pará de Minas, Varginha e Pirapora.

Em 2019, a banda teve a honra de abrir, em praça pública, em Pará de Minas, o Festival DiPanas Blues, um dos mais importantes do Estado, com atrações nacionais e internacionais.

Alexandre da Mata & The Black Dogs

Após anos atuando à frente dos mais diversos projetos, Alexandre da Mata apresenta seu trabalho mais autoral acompanhado dos Black Dogs . Em 2016 a banda lançou o álbum ” All Them Reasons”, com participação do baterista Chris Slade (AC/DC) e já se apresentou em grandes festivais pelo Brasil e exterior. Recentemente esteve no maior festival de blues de Portugal, o Santa Maria Blues, realizado nos Açores, ao lado de grandes nomes do blues internacional, como Harvey Dalton Arnold (The Outlaws) e Pat Cohen.

Little Butter

Little Butter é uma banda de Jump Blues e Boogie. O nome veio do apelido do idealizador Eduardo Sanna, que também é conhecido como ”Little Butter”. Ele é um músico da cena de blues Belo Horizontina que além deste projeto também promove jams de blues mensais em BH, o encontro internacional de gaitistas chamado “Gaitas de Minas” e alguns outros

festivais de blues em Minas Gerais. Além de seu trabalho autoral, o show da banda carrega no repertório temas de grandes mestres do estilo Harmônica blues como Sonny Boy Williamson II, Little Walter, Big Walter Horton, Slim Harpo e James Cotton. Trata-se de uma apresentação dançante e animada que expõe todas as variações de boogie-woogie e shuffle.

Na banda, músicos que amam Harmônica Blues Tradicional, e vem se destacando em importantes festivais por todo o Brasil!

ATRAÇÕES ARTÍSTICAS

Exposição Fotográfica – Cold Hot

Considerado a premissa de trazer para o publico novas experiências e boas conexões, onde imagens podem gerar sons, ainda que imaginários. Partindo dessa constatação, o fotografo e jornalista Sérgio Poroger registrou, numa jornada através do sul dos Estados Unidos a obra gráfica transformada no livro Cold Hot.

Com curadoria de Eder Chiodetto, o jornalista e fotógrafo paulistano Sergio Poroger expõe  paisagens e localidades do Sul dos Estados Unidos, que exalam musicalidade,  história e  emoção. Imagens compõem o livro Cold Hot, lançado no Brasil em 2016 e, em fevereiro de 2017, nos Estados Unidos, em turnê por 9 cidades fotografadas por Poroger, New Orleans, Lafayette, Jackson, Oxford, Clarksdale, Memphis, Nashville, Chattanooga e Atlanta. Os eventos foram realizados em livrarias, museus, restaurantes e bares.

Segundo Eder Chiodetto, um dos ícones da curadoria fotográfica no Brasil, as imagens retratam a cronologia e a geografia que se conectam pela composição, pelos intricados jogos de luz e cor e também pelas tonalidades que conotam aquecimento extremo ou certa frieza.  O fotógrafo pesquisou a região por quase dois anos, “pautado pela vontade de fotografar a musicalidade da região e lá fui surpreendido por uma parte diferente do restante dos Estados Unidos, em que a música influencia totalmente suas paisagens, arquitetura e os costumes de seus moradores, que também são diferentes, gostam de falar, conversar e são mais descontraídos. Um lugar, onde tudo vira música! ”, explica Poroger.

Jornalista e fotógrafo, Sergio Poroger é sócio da SPMJ Comunicações, agência de comunicação corporativa e relações com imprensa, com atuação há 31 anos nos mercados brasileiro e internacional. Há 10 anos, tem na fotografia sua grande paixão. Em sua carreira de fotógrafo, alguns de seus trabalhos já estamparam páginas de publicações da Editora Abril  (Revista Runners e Viagem e Turismo) e publicou ensaios sobre Miami, Japão e Uruguai. No ano passado, lançou seu primeiro livro fotógrafo – Cold Hot– sobre  a musicalidade do Sul dos Estados Unidos.

Mississipi e seus Mojos By Marcos Kaoy

O público vai poder conferir a mostra “Mississipi e seus mojos”, com foco no blues, de autoria de Marcos Kaoy. As telas, criadas com matérias-primas consideradas “lixo” para muitos, mas que se transformam em preciosidades nas mãos do artista plástico, foram

destaques em grandes festivais de blues em 2019, como o “Mississipi Delta Blues” (RS), “Ibitipoca Blues – 20 anos” (MG), 8º “Festival Internacional Dipanas Blues & Jazz” (MG) e “Rota do Blues (MG).“Tive contato com o blues desde cedo, tanto que virei gaitista e passei a admirar esse universo que tanto me inspira a criar quadros e peças relacionados ao gênero musical”, explica o artista.

Serviço:
Layback Blues Festival
Data: 08 de fevereiro
Horários dos shows: de 14h às 00h
Local: Layback Park BH – Vila Da Serra, Rodovia Januário Carneiro, nº 20
Entrada Franca e Rodada dupla de Chope e Whisky Jamensom de 14h às 16h


Sobre Jornal da Cidade BH:

Portal de notícias de BH e região, com informações sobre eventos empresariais, negócios, economia, política, cobertura social e muito mais.

1 Comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Avatar
    Fabiana 10 de fevereiro de 2020

    Gostaria de entender onde fica este espaço.
    Pelo que conheço, fica em Nova Lima e tem o nome de BH.
    Não entendo estes empresários que montam seus negócios em Nova lima e se dizem localizado em Belo Horizonte: por que não montam o empreendimento em BH??? Se a cidade não serve de localização , para que trazer o espaço pra cá?????? Síndrome de Cachorro vira lata.

Avatar
Deixe um comentário