Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

Espaço Do Ar apresenta múltiplas experiências

09 de agosto, 2019
Jornal da Cidade BH Notícia boa também dá audiência!

Gastronomia. Ainda não tem um ano que o Espaço Do Ar abriu no bairro Santa Lúcia em uma rua pacata paralela à Av. Raja Gabáglia. No ambiente, projetado por Éolo Maia, convivem restaurante, casa de show, bar, café, coworking, escola de vinhos e espaço para arte e design, que inclusive pode ser reservado para eventos fechados. São múltiplas experiências funcionando todos os dias das 10h às 23h durante a semana e 0h no fim de semana. Desde brunch e café da tarde, almoço frugal ou caprichado, assim como jantar ou petisco para comer em pé, ao mesmo tempo em que curte um show. O cardápio é o mesmo em todos os momentos do dia, inclusive com brunch.

Criatividade não falta por lá, inclusive pelo divertidíssimo cardápio que o chef Kiki Ferrari elaborou em consultoria para a casa. Ele é conhecido pelo talento em preparo de churrasco no estilo americano com picantes influências Tex-Mex, Cajun-Creole e asiáticas. Especialista em defumação, fogo de chão e parrilla, participa de grandes eventos de ruas além de ser o idealizador dos deliciosos molhos Chef n’ Boss. Chefiou o saudoso Svärten Mugg, a primeira Taverna Viking do Brasil com culinária rústica escandinava e hoje se dedica a eventos e consultorias.

Leia também: Lolita Bubble Gin, no Vila da Serra, funciona como bar e empório

Para o menu do Espaço do Ar, Kiki Ferrari baseou-se na comida urbana de Belo Horizonte, trazendo lembranças afetivas ao mesmo tempo em que inova e provoca. Prima por ingredientes principalmente locais, com toques internacionais e misturas inusitadas. Saindo da estufa, o “Onofre” (R$ 12) é um bolinho de arroz com estrogonofe de frango, empanado na batata palha e acompanhado de molho “rosão”, assim como a “Coxinha BBQ” (R$ 12) recheada de costelinha e regada ao molho Buffalo Chef n’ Boss, bem grande também, praticamente uma refeição.

Os salgados para toda hora atendem também aos vegetarianos com o “Harumato” (R$ 10), pastel primavera de vegetais com agridoce de groselha, e o “Falafão” (R$ 13), falafel de feijão fradinho regado com marsala chutney e catupiry. Continuando na ala dos individuais, as risadas já começam pelos nomes dos sandubas “Xistela” (R$ 25) e “Speed Porco” (R$ 20), traduzindo do mineirês: espírito de porco. O primeiro é feito com burguer de costela no pão na chapa, manteiga de garrafa, queijo Minas e dips de molho verde, aquele do podrão, e farofa de batata palha. A dica do chef é molhar o sanduba no molho e enfiar na batata palha para grudar. Já o segundo é feito com mortadela empanada e maionese de torresmo com limão no pão de bacon. No lugar de batata frita, os sanduíches acompanham anéis de biscoito de polvilho. Adorei.

Leia também: Evvai é excelente opção gastronômica em São Paulo

Um dos petiscos mais criativos e divertidos que já vi é a “Lasanha de obra” (R$ 42). Trata-se de uma desconstrução do prato tradicional em que a massa de lasanha na forma de telha crocante sustenta ora picadinho de linguiça, ora caponata de berinjela com pasta de Canastra em camadas. Para comer, é só quebrar a telha com as mãos e ir destacando os pedaços para leva à boca e se deliciar. Cheio de sabores intensos, o “Amor e Panela” (R$ 68) vem num prato que parece ser individual, mas pode ser compartilhado, já que é bem generosa a fatia de bacon de panela, acompanhada de picles de maçã, barbecue de biquinho com cachaça, farofa de biscoito de polvilho e pãozinho de canela.

Há muitas opções vegetarianas e a “Pamerinjela” (R$ 60) foi um dos pratos que mais gostei de todo o cardápio. É uma milanesa de berinjela empanada na polenta, coberta com filé de pimentão vermelho, queijo Minas, molho vermelho com purê de batata. Outros rangos são o bolado à cavalo e o “frangassado”; você tem que ir lá para descobrir e desvendar cada prato mais inusitado que o outro. Às quartas-feiras tem open wine por R$ 45 e os vinhos são servidos à vontade de 18h às 23h.





Avalie este conteúdo


Sobre Léa Araújo:

Léa Araújo, editora do blog Degustatividade, escreve sobre restaurantes e experiências gastronômicas há 7 anos. Amante da boa mesa busca sempre estudar e compreender além do prato de comida. Focada na alta gastronomia, na alimentação saudável e atenta a pequenos produtores procura sempre descobrir os detalhes de cada novidade no mercado gastronômico.

×
Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!