Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

COMÉDIAS ANÁRQUICAS SÃO EXIBIDAS NO CINE HUMBERTO MAURO

06 de março, 2019
Foto: Divulgação
Jornal da Cidade BH Notícia boa também dá audiência!

Cinema. O Cine Humberto Mauro, realiza, desde 25 de fevereiro a mostra Comédias Anárquicas, reunindo 32 longas-metragens que exploram o subgênero da comédia, cujo representante mais famoso é o grupo de comédia britânico Monty Pyton.

Na programação, que vai até 27 de março,  grandes diretores como Carlos Manga, Martin Scorsese, Stanley Kubrick, Spike Lee, Jean-Luc Godard, Luis Buñuel e Woody Allen subvertem a própria linguagem cinematográfica para através de um humor satírico, espirituoso e cômico apresentar retratos e situações sociais.

Em exibição

Entre os destaques da mostra está Monty Pyton em Busca do Cálice Sagrado (1975), uma sátira dos eventos históricos da Idade Média, em que O Rei Arthur está à procura de cavaleiros que possam acompanhá-lo na busca do Santo Graal.

Em Apertem os Cintos… O Piloto Sumiu!(1980), um ex-combatente de guerra é forçado a assumir os controles de um avião quando a tripulação sucumbe à comida contaminada. Junto da namorada, que assume como co-piloto e aeromoça, vai tentar salvar os passageiros e terminar o voo com sucesso, mas existe um problema: ele é neurótico.

Destacam-se, também, as chanchadas brasileiras Nem Sansão Nem Dalila(1953), e Matar ou Correr (1954). No primeiro, o barbeiro Horácio sofre um acidente e vai parar no Reino de Gaza, no século IV antes de Cristo. Lá conhece Sansão, dono de uma força descomunal que vem de uma milagrosa peruca que Horácio troca por um isqueiro, transformando-se num homem forte e poderoso que passa a reinar em Gaza. Já o segundo é uma paródia do clássico do faroeste Matar ou Morrer (1952), em que depois de Kid Bolha e Ciscocada acidentalmente derrotarem um temido bandido, um deles é nomeado xerife, mas o criminoso foge da prisão prometendo vingança contra Kid Bolha.

Em Uma Noite na Ópera (1933) um agente de negócios e dois amigos tentam ajudar dois cantores de ópera a alcançar o sucesso, mas não são bem aceitos. Os três irmãos vão tentar eliminar o concorrente através de muitas palhaçadas e brincadeiras.

Por fim, num dos filmes menos conhecidos de Kubrick, Dr. Fantástico (1964), um general americano acredita que os soviéticos estão sabotando os reservatórios de água dos Estados Unidos e resolve fazer um ataque anticomunista, bombardeando a União Soviética. Com as comunicações interrompidas, ele é o único que possui os códigos para parar as bombas e evitar o que provavelmente seria o início da Terceira Guerra Mundial.

O que são as comédias anárquicas?

Os filmes do gênero que protagoniza a mostra em Belo Horizonte se caracterizam por usar do nonsense e fluxo de consciência do humor, geralmente em pequenas narrativas autônomas entre si.

“Pode-se dizer que esse subgênero é uma herança da sslapstick comedies ou comédias malucas dos anos 1930 e 1940, misturando, também, paradigmas de outras vertentes da comédia como a comédia pastelão e de sketches”, associa Bruno Hilário, gerente do Cine Humberto Mauro, compreendendo o subgênero como um conceito aberto.

Bruno também acrescenta que, para algumas produções, o fazer rir era considerado mais interessante do que o próprio roteiro do filme. “Em muitos dos filmes, a piada resultante da performance do artista pode ser mais importante do que a narrativa em si. Na mostra, reunimos filmes que podem ser anárquicos não só no conteúdo da comédia, mas também no uso da linguagem e estética cinematográficas”, explica.

O gênero da comédia costuma, por si só, subverter as expectativas e relações sociais, bem como a construção clássica de personagens. Nos longas que compõem a mostra, acontecimentos como um apocalipse zumbi, investigações policiais, a Guerra Fria e até a história do Rei Arthur são satirizados com situações absurdas, utilizando gags visuais, formato de sketch e até elementos surreais.

Leia mais sobre Cinema.

×
Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!