Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

Omnishopper, muito prazer

25 de maio, 2018
Jornal da Cidade BH Notícia boa também dá audiência!

Por Tatiana Andrade. O novo consumidor e a estratégia omnichannel na construção de marcas relevantes

Uma coisa é certa e não tem volta: a transformação digital trouxe à luz um novo personagem, o consumidor omnishopper, e entender o seu comportamento é uma questão de sobrevivência para quem deseja construir marcas relevantes.

Ainda que muito tenha se falado sobre a omnicanalidade ou omnichannel – omni de onipresença e channel de canais –, vamos ao começo de tudo: o novo consumidor, mais conhecido como omniconsumidor ou omnishopper – aquele que transita entre esses canais diversos – e sua jornada de consumo.

Se antes havia certa previsibilidade durante essa jornada ou processo, desde o interesse por um produto ou serviço até o momento de decisão da compra offline, imagine a multiplicação de possibilidades desde que o universo on-line tomou conta de nossas vidas.

Descobrimos marcas em redes sociais, logo “googlamos”, pesquisamos quem usa, checamos no e-commerce, por vezes passamos na loja para conhecer o produto de perto, checamos de novo o Instagram e também o do concorrente. Depois de muitas idas e vindas, buscas, stories, influencers, posts patrocinados e mídias programáticas, compramos na loja on-line e trocamos na loja física.

No final das contas, mais do que apenas trafegar pelos diferentes canais de venda – o que a maioria se engana em relação ao omni – transitamos principalmente entre variados canais de comunicação de marcas que, se não vendem diretamente, influenciam a decisão que leva à venda.

Como bons omnishoppers que nos tornamos, esperamos marcas com a visão de integração total da experiência – exatamente como a nossa. Ainda que, como clientes, não enxerguemos claramente os diversos pontos de contato pelos quais interagimos, construímos relacionamentos únicos e mais fortes com as marcas que interagem mais e melhor.

Nada como a Tiffany & Co para demonstrar como até o mercado de luxo – por particularidade, o último a abraçar a revolução digital – já se rendeu ao mindset onipresente. Com 8,4 milhões de seguidores no Instagram, 9,9 milhões no Facebook e mais outros milhares de curtidas no Pinterest e YouTube, a joalheria já apresentou um app de realidade aumentada para que anéis de noivado pudessem ser experimentados via mobile, oferece serviço de concierge no site e busca a entrega de uma experiência integrada em todos os touchpoints com o consumidor.

Que o diga Alessandro Bogliolo, CEO da marca: “nossos esforços estão agora focados em entregar uma experiência omnichannel perfeita para o consumidor. Nossa equipe está motivada para potencializar seus relacionamentos com os clientes, e esse é o verdadeiro poder do nosso networking físico e digital para aumentar a relevância da marca.”

Porque o mais importante é que o mercado está se transformando profundamente e o consumidor mais ainda, mas uma coisa não vai mudar tão cedo: o relacionamento que você deve construir com seu cliente se quiser ser uma marca sólida. E que seja onipresente.


Sobre Tatiana Andrade:

Com mais de 10 anos de experiência no mercado de comunicação de moda, luxo e varejo; Tatiana Andrade é Designer de Moda, com especialização em Marketing de Moda pelo Fashion Institute of Technology de Nova York e pós graduada em Marketing pela ESPM de São Paulo. Iniciou sua carreira na Iorane em Belo Horizonte; e continuou em São Paulo, onde desenvolveu estratégias de comunicação para clientes como Versace, Roberto Cavalli, Lolitta, Schutz, dentre vários outros na Index Assessoria; foi Head de Marketing da Guess no Brasil e de volta à BH, inaugurou em 2019 a Brand Boutique, agência de Branding e Marketing para marcas de moda, design e lifestyle.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário