Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

O novo influenciador digital

29 de maio, 2020
Jornal da Cidade BH Notícia boa também dá audiência!

Coluna. Como ele passará pela era Covid-19 e como poderá ser ainda melhor depois dela

Desde o início dessa nova dinâmica social que o mundo nos impôs, milhares de pessoas têm buscado por novos caminhos para si mesmas, assim como experientes profissionais e marcas se veem em processos de reposicionamento. Como era de se esperar, a ressignificação logo bateu também na porta dos influenciadores digitais.

Importantes players – muito além do mercado de moda, mas da cadeia de comunicação como um todo – mais do que nunca se torna necessário repensarem o seus papéis. Como sempre gosto de começar lembrando, influenciador digital não é aquele que tem muitos seguidores, mas sim aquele que impacta o comportamento de alguém de forma decisiva, por meio de sua expressão online.

Dito isso, a primeira reflexão é como impactar de forma positiva a vida de uma audiência que passa por dias não tão fáceis como estes? Qual o papel social a influência pode ter, já que estivemos até agora falando apenas do seu papel comercial?

A italiana Chiara Ferragni – uma das mais notáveis influenciadoras de moda do mundo – idealizou um financiamento coletivo para arrecadar dinheiro para construir um hospital para atender casos graves de novo coronavírus em Milão. Duzentas mil pessoas participaram da iniciativa e a construção ficou pronta em apenas duas semanas, e salvou milhares de vida no auge do colapso de saúde italiano.

Além do papel social ativo, como segunda questão, importante elevar o papel do influenciador na comunicação. Quem dialoga com um grupo de pessoas é, antes de qualquer coisa, um comunicador. E a resposta é a mesma para todos os comunicadores que ao mesmo tempo vendem, em dúvida do que comunicar neste momento e em todos os outros: conteúdo de valor, além de somente produtos.

E cabem aqui algumas perguntas para eles: como fazer a vida de alguém melhor por meio do que você diz? Afinal, se todos os produtos acabassem agora, qual valor estaria você levando para quem o assiste todos os dias?
Isso significa então deixar de mostrar produtos? Nunca. Apenas não se deve fazer deles os protagonistas da relação influenciador-influenciados. O mais precioso está em alcançar um diálogo de influência sobre todos os tipos de comportamentos – como demonstrou Chiara Ferragni.

Por fim, como conseguir fazer tudo isso e ainda estar bonita, maquiada, bem fotografada, filmada e feliz? Bem-vindos ao terceiro e último papel – que ainda é raro – mas que o isolamento social está prestes a transformar: o papel de dono de uma vida real.

Que venham mais verdades, menos vidas totalmente perfeitas. Afinal, a aspiração já foi mesmo a grande força-motriz do desejo, mas esse tempo passou. Aliás, só para lembrar: foi justamente essa a causa que levou à ascensão das influenciadoras e derrocada das top-models no mundo da moda do passado.

Vivemos em tempos de busca de identificação e inspiração pelos nossos iguais, não mais pelos diferentes. E tudo bem se a vida de alguém é verdadeiramente incrível, realmente acontece de vez em quando.

Mas que saibam todos os outros que as normalidades das vidas não incríveis – principalmente depois de 60 dias de isolamento social – têm sido bastante inspiradoras e cheias de conexão com seus iguais.


Sobre Jornal da Cidade BH:

Portal de notícias de BH e região, com informações sobre eventos empresariais, negócios, economia, política, cobertura social e muito mais.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário