Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

BELEZA NEGRA MOVIMENTA O MUNDO DA MODA

20 de setembro, 2017
Jornal da Cidade BH Notícia boa também dá audiência!

Os comentários racistas nas redes sociais contra a vencedora do Miss Brasil 2017, Monalysa Alcântara, provocam uma reflexão sobre como a discriminação continua forte, mesmo em um momento em que discussões sobre diversidade e inclusão estão em alta. A jovem é a terceira mulher negra a receber a coroa no Brasil.

Embora em número menor, os modelos negros têm ganhado espaço, na contramão da exigência pelo físico europeu pré-estabelecido como ideal. Nesta edição da São Paulo Fashion Week, por exemplo, o modelo senegalês da Mega Model, Nabilah Sedar, de 20 anos, destacou-se ao desfilar para as grifes Ronaldo Fraga e La Garçonne.

Acompanhando de perto essas mudanças de padrão, o empresário Moisés Nascimento, sócio-diretor da Mega Model Minas Gerais, reforça a quebra desse paradigma. De acordo com ele, o mercado tem buscado mais homens e mulheres negros, tanto para a produção de campanhas publicitárias quanto para desfiles. “A influência de artistas engajados em campanhas contra o preconceito é um dos fatores responsáveis por esse crescimento. Tivemos uma demanda significativa de profissionais negros na agência nos últimos anos. Os próprios candidatos têm nos procurado mais”, comenta.

A vez das mulheres negras:
Depois de avaliar 207 campanhas da Primavera de 2017, com 444 modelos, o site theFashionSpot concluiu que apenas 24,5% dos profissionais eram negras. Apesar de pouco expressivo, houve um aumento de 1,2 pontos em relação aos 23,3% relatados na temporada passada.

Ainda de acordo com o site, entre a Primavera de 2015 e o Outono de 2015, a porcentagem de modelos negras permaneceu estagnada em 15,3%. A Primavera de 2016 ofereceu sinais de esperança com a presença de 21,8% dessas profissionais, um salto de 6,5 pontos em relação à estação anterior. No Outono de 2016, no entanto, o progresso novamente se estabilizou: somente 23,3% de mulheres negras fotografaram para books.

Para a temporada de Outono de 2017, o theFashionSpot examinou 241 desfiles e 7.035 manequins de Nova York, Londres, Paris e Milão. Segundo os dados, mais modelos negras desfilaram. Ao todo, nas quatro cidades, 72,1% das mulheres eram brancas e 27,9%, negras. Isso representa 2,5 pontos a mais em relação às modelos negras contratadas para a Primavera 2017, que chegou a 25,4%. Comparativamente, os desfiles de Outono e Primavera de 2016 tiveram a participação de 24,7% e 22,4% de profissionais negras, respectivamente.

Racismo na internet:
A SaferNet, ONG especializada em crimes virtuais (www.new.safernet.org.br), registrou, em 2016, 35.171 denúncias anônimas relacionadas a racismo na internet, envolvendo 11.393 páginas distintas (das quais 2.552 foram removidas),hospedadas em 1.338 hosts diferentes, conectados à internet através de 1.162 números IPs, atribuídos a 31 países de três continentes. As denúncias foram registradas pela população nos sete hotlines brasileiros que integram a Central Nacional Denúncias de Crimes Cibernéticos.

Dentre os hosts com mais páginas denunciadas, estão o Facebook (66%), Twitter (7%) e Youtube (4%).

Fotos: Vogue

Avalie este conteúdo


Sobre Jornal da Cidade BH:

Portal de notícias de BH e região, com informações sobre eventos empresariais, negócios, economia, política, cobertura social e muito mais.

Senha o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário

×
Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!