Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

Mais segurança para as motos elétricas

05 de abril, 2020
Jornal da Cidade BH Notícia boa também dá audiência!

Mobilidade. Com 1% de participação no mercado nacional, mas em crescimento, modelos movidos a energia alternativa ganham opção de seguro com coberturas contra furto, roubo e assistência 24 horas

Elas ainda não são muitas, mas merecem respeito. Trata-se das motocicletas elétricas, que vêm ganhando mais adeptos no Brasil, como opção para pessoas que querem fugir dos congestionamentos nos grandes centros de forma mais econômica e limpa.

Apesar de terem apenas 1% de participação no mercado nacional de motos novas, com 1.136 unidades produzidas nos primeiros dois meses de 2020, as elétricas têm atraído consumidores.

Este volume é 79% acima do fabricado no mesmo período do ano passado, segundo dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo).

O mercado promissor, contudo, ainda não dispunha de empresas que oferecerem seguros com coberturas dignas. Mas agora não há mais esta lacuna.

Pelo menos é o que garante a Suhai Seguradora (Link), que anunciou a proteção também para as motos elétricas contra furto e roubo, com assistência 24 horas e opção de incluir perda total na apólice.

O diretor comercial da empresa, Robson Tricarico, observa que são aceitas todas as motos, desde os modelos utilizados como ferramentas de trabalho pelos motofretistas, motoboys ou mototaxistas, até os modelos usados pelos proprietários no caminho de casa para o trabalho, ou para passeio, competição ou lazer.

O executivo afirma que, antes de lançar a opção de seguro para as motos elétricas, as primeiras consultas do público começaram a surgir no segundo semestre do ano passado, com picos durante o Salão Duas Rodas, em novembro.

A apólice oferecida pela Suhai Seguradora pode ser para modelos que não precisam ser emplacados, mas que possuam VIN (Vehicle Identification Number). É um número de chassi universal padrão para modelos automotores.

A regra é a mesma que se aplica para motocicletas de competição. Caso a moto esteja emplacada, a contratação se dá tendo como parâmetro a Tabela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) ou valor determinado.

“Cada vez mais o mercado está se adaptando aos novos meios de locomoção. O crescimento dos veículos duas rodas movidos a eletricidade é enorme, principalmente quando comparado ao restante da indústria, assim como o das motos customizadas”, saliena Tricarico.

FOTO / Divulgação JC/H-D


Sobre Jornal da Cidade BH:

Portal de notícias de BH e região, com informações sobre eventos empresariais, negócios, economia, política, cobertura social e muito mais.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário