Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

Minimalismo e espaços compactos são escolha ideal para pessoas práticas

05 de fevereiro, 2019
Por: Jornal da Cidade BH
Foto: Pedro Vilela
Jornal da Cidade BH Notícia boa também dá audiência!

Casa & design. As mudanças da sociedade contemporânea, desde a busca por praticidade até a correria do dia a dia, acabam fazendo com que as pessoas busquem por boas experiências dentro de casa. E isso é algo que só um ambiente completo é capaz de proporcionar.

De acordo com o arquiteto Junior Piacesi (foto), um espaço mais compacto se torna mais viável para esta proposta. Isso porque, priorizando a vida profissional e o tempo, é maior a tendência de escolher moradias próximas ao trabalho, que, em muitos casos, fica em regiões bem valorizadas.

Outra vantagem é que “os compactos facilitam a boa organização, que vai ao encontro desses valores”, comenta. Junior ressalta ainda a necessidade de um ambiente que ajude as energias gastas ao longo da rotina a serem recarregadas. Ou seja: um lugar para se sentir relaxado.

Assim, nasce uma nova tendência. “Em vez de buscar locais para confraternizações, passamos a permanecer em casa para esse momento de descanso, ou mesmo para receber amigos e família num ambiente que agrada muito mais que outros fora de casa”, afirma.

Minimalismo

O arquiteto conta que os traços minimalistas são os preferidos por contribuírem para o equilíbrio diante do excesso de informações visuais no dia a dia. Nesse sentido, a iluminação, o controle da temperatura e sonorização são essenciais para criar essa atmosfera.

Vale lembrar que, tecnicamente, a combinação ideal entre esses fatores inclui estudo do ambiente, iluminação natural, revestimentos, piso, entre outros. Ou seja: vai muito além dos itens de decoração, luz artificial e ar-condicionado, por exemplo.

Além disso, Piacesi afirma que  tudo deve ser trabalhado de acordo com os hábitos de movimento dentro da casa, os horários da rotina, as preferências pessoais e o estilo de cada um.

“O ponto de partida é entender  qual a personalidade, os hábitos, as preferências do morador, de forma que o espaço fique interessante, funcional e atemporal. Se for uma pessoa extremamente organizada, isso vai demandar que o ambiente possua materiais e cores que favoreçam a percepção de limpeza”, exemplifica.

Já para alguém mais consumista, Junior Piacesi ressalta a importância dos espaços de armazenamento para não impactar visualmente o local com um alto volume de informações. “Reconhecer-se em sua própria casa traz equilíbrio e contribui muito para que sua identidade e seu valor sejam reforçados internamente a cada dia”, afirma.

“Mais arrojado”

Em termos de estilo, segundo o arquiteto, hoje em dia, existem alguns materiais que traduzem uma realidade mais rústica. Por isso, os papeis de parede, cristais e o bege dão espaço para tijolos rústicos, materiais como o concreto e a pedra e os spots, que trazem uma linguagem mais arrojada e contemporânea, fazendo com que o ambiente ganhe um aspecto sóbrio, mas ao mesmo tempo elegante e sofisticado.

“A linguagem é mais arrojada, o que reflete uma das fortes características do homem moderno, explora esse estilo industrial, o universo do cimento, da cara de fábrica, desses materiais que trazem uma característica mais ousada e mais contemporânea”, diz Piacesi.

Para o arquiteto, esse tipo de linguagem tem sido mais ligada ao universo masculino que ao universo feminino. “Mas, na verdade, acho que hoje em dia as mulheres também têm buscado mais esses espaços que tragam mais personalidade dentro desse estilo”, pontua.

O importante, finaliza Piacesi, é levar em consideração a personalidade do morador, e seus hobbies, que são um ponto importante e ajudam a contar a história sobre quem é aquela pessoa.

Avalie este conteúdo

×
Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!