Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

Brasileiros empreendem mais em imóveis nos EUA: profissional dá dicas de como investir

18 de fevereiro, 2019
Jornal da Cidade BH Notícia boa também dá audiência!

Homes By Florida. Orlando é a cidade turística mais visitada dos Estados Unidos. Anualmente, mais de 72 milhões de pessoas visitam o destino, segundo a Visit Orlando (Associação de turismo oficial de Orlando). Somente em 2018, 993 milhões de turistas partiram do Brasil em direção à Flórida, de acordo com o Brand USA, empresa de marketing turístico para os EUA.

São muitos os fatores que tornam a região atrativa. Cerca de 25 novas atrações turísticas foram abertas em Orlando nos últimos dois anos. A cidade também atrai visitantes por sediar importantes jogos de campeonatos esportivos, como o Super Bowl.

De acordo com a mineira Patrícia Lamana Pretel, que atua há 15 anos no mercado imobiliário americano como diretora da Homes By Florida, o turismo melhora a qualidade de vida na Flórida e eleva a economia local por atrair investidores.

“Orlando é conhecida como a capital do turismo e se torna a cada dia mais a cidade do investimento imobiliário. O encantamento pela cidade norte-americana fez a quantidade de brasileiros que escolhe essa região para morar e abrir negócios crescer 89% nos últimos cinco anos”, destaca.

Patrícia Pretel explica que, se o investimento for bem planejado, a compra de imóvel em Orlando pode ser extremamente lucrativa.

“A valorização dos imóveis na cidade é crescente, supera 5% ao ano. Além disso, a compra de uma casa de férias é considerada um fechamento de um grande negócio, pois existe a rentabilidade mensal. Isso se deve principalmente ao aquecimento econômico gerado pelo grande fluxo de turistas”, destaca.

Segundo relatório da Forbes com o Local Market Monitor, o valor médio de um imóvel em Orlando (US$ 247,5 mil) sofre uma valorização de 9% ao ano e tem previsão de crescimento de 35% em três anos.

De acordo com o Smarthosts Vacation Rental, em 2016, o mercado das “vacation homes”, ou casas de aluguel, na Flórida estava avaliado em US$ 100 bilhões. A estimativa, segundo a mesma fonte, é de que feche 2019 valendo cerca de US$ 167,9 bilhões.

Vacation Homes

“O mercado de turismo, estável e crescente, gera uma incrível oportunidade de investimento.” Cada vez mais os turistas querem se hospedar em casas em vez de hotéis. Para atender a essa demanda, a região de Orlando possui inúmeros condomínios resorts com casas para aluguel de temporada.

As casas possuem em média de quatro a 14 quartos, com vastas áreas de lazer.  Alguns resorts, além de bares, restaurantes e lounges, oferecem serviços aos hóspedes categorizados como hotel cinco estrelas, incluindo babá para cuidar das crianças, transporte aos parques da Disney, Universal e Sea World, check-in para voos de dentro do hotel e outras comodidades e “mimos” que encantam qualquer turista.

“Os resorts têm sido cada vez mais criativos em planejar e construir as áreas de lazer. Eles investem em opções, como piscinas aquecidas, rio lento, surf board, parque de água, toboáguas, quadras de tênis, campos de golfe, entre outros”, aponta Patrícia Pretel.

A corretora destaca que esses perfis de resorts de férias são os que mais chamam atenção dos investidores. “Alguns brasileiros compram imóveis para que a família tenha uma casa em Orlando e possa usufruir nas férias. Outros são exclusivamente investidores, ou seja, compram o imóvel e escolhem o condomínio baseado no retorno de investimento de cada um. Depois de fechar a compra da casa, o investidor acompanha o fluxo financeiro da conta bancária sem se preocupar com nada. A captação do cliente e manutenção da casa —desde limpeza do imóvel entre hóspedes até a reposição de um copo quebrado— são de responsabilidade da administradora”, explica Patrícia Pretel.

A escolha do corretor

A compra de um imóvel nos Estados Unidos é um processo totalmente legítimo, seguro e simples. Porém, é fundamental contar com profissionais qualificados nesse processo.

“Na Flórida, todos os imóveis à venda ficam disponíveis em um sistema único do Estado. Sendo assim, todos os corretores possuem o mesmo portfólio de imóveis a ser trabalhado. O investidor deve, porém, escolher um corretor de imóveis capacitado e dedicado para que o processo de compra do imóvel, desde a escolha até o fechamento, seja uma experiência positiva”, alerta a profissional.

Financiamento

Não é preciso ser residente nos Estados Unidos, tampouco ter um Green Card (visto permanente de moradia), para requerer um financiamento imobiliário na Flórida. Porém, é fundamental ter um visto válido, mesmo que seja o de turista. Também não é preciso estar no país para comprar um imóvel. Muitos investidores fazem todo o processo sem sair do Brasil.

Existem diferentes tipos de financiamentos para estrangeiros. Cada banco possui sua política no que se refere a valor do empréstimo e valor do imóvel a ser financiado. O percentual mínimo da entrada é de 25% do preço do empreendimento.

Para se qualificar para a compra de imóveis, o cliente estrangeiro precisa comprovar reserva em conta bancária suficiente para cobrir a entrada, os custos de registro da escritura e pagamento das três primeiras parcelas. “A taxa média de financiamento para brasileiros tem ficado entre 5% e 6% ao ano —dependendo do banco e do tipo de financiamento que está pegando”, esclarece Patrícia Pretel.

Diferentemente do Brasil, o cliente não precisa ter relacionamento com banco para conseguir financiamento imobiliário ou boas taxas. Existem instituições financeiras especializadas em oferecer financiamento imobiliário. Nesses bancos, o cliente não precisa ter conta bancária para iniciar a avaliação de crédito. Depois de o banco verificar se ele está apto para um empréstimo imobiliário, a instituição autoriza a abertura da conta.

“Uma vez efetuado o down payment (pagamento da entrada), o investidor pode quitar as prestações do financiamento com  a rentabilidade de locação do imóvel. Geralmente, o aluguel cobre o financiamento do imóvel e todas as despesas da casa, incluindo seguro obrigatório, taxas de condomínio, entre outros valores”, ressalta a corretora.

×
Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!