Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

Pele negra: características e principais cuidados

03 de dezembro, 2018
Jornal da Cidade BH Notícia boa também dá audiência!

Saúde. Para falar sobre as formas de manter a saúde da pele negra da região da face e do corpo, a dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Teresa Noviello, aponta os principais cuidados e hábitos diários que devem ser adotados para evitar a ocorrência de problemas comuns a este tipo de pele.

Por ser rica em melanina, a pele negra tem maior proteção contra o câncer de pele e apresenta de forma tardia os sinais do fotoenvelhecimento. Segundo Teresa Noviello, um outro fator que privilegia a pele negra em relação as mais claras são os seus altos níveis de firmeza e elasticidade, que por sua vez, adiam o aparecimento de rugas e linhas de expressão, assim como retardam o desenvolvimento acentuado da flacidez e celulite.

“A estabilidade e flexibilidade da pele negra se deve a grande atividade dos fibroblastos neste tipo de pele, que acabam garantindo uma maior produção de colágeno. No entanto, ao mesmo tempo em que o colágeno traz benefícios, também contribui para uma maior incidência de queloides em peles mais escuras”, esclarece.

A dermatologista explica que ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, a pele negra necessita da mesma intensidade de cuidados quanto a pele branca. “Apesar de ter a melanina como uma forte aliada na proteção contra agentes externos, a pele negra também pode ser atingida por carcinomas e está mais sujeita a eclosão de manchas e olheiras”, ressalta.

Para manter a pele negra saudável, a dermatologista recomenda que, primeiramente, as pessoas passem por uma avaliação médica para que seja identificado o tipo de pele (seca, mista ou oleosa) e a partir daí seja traçada uma rotina diária de higienização, hidratação e proteção. “Sendo na maioria das vezes mista ou oleosa, a pele negra precisa de cuidados específicos, que devem ser mantidos tanto no verão como no inverno”, afirma.

Segundo Teresa Noviello, dentre os principais cuidados diários que podem controlar a oleosidade e evitar o surgimento de manchas na pele negra incluem lavar o rosto ao menos uma vez ao dia, hidratar o corpo e a face todos os dias com hidratantes específicos para cada tipo de pele e esfolia-los uma vez por semana para a retirada de células mortas. “Lembro que a face, por ter maior tendência a ser oleosa, deve ser hidratada por meio da aplicação de cremes livres de óleos e não comedogênicos. Já o corpo, por ser mais ressecado, deve receber uma hidratação mais profunda, composta por cremes, óleos e produtos pós-banho”, orienta.

Ainda é importante recomendar o uso constante do filtro solar de, no mínimo, FPS 30, que deve ser aplicado duas ou três vezes ao dia. “Também é indispensável, que as pessoas ingiram muita água, em torno de 1,5L por dia, pois a hidratação da pele deve ser de dentro para fora da mesma forma”, aconselha.

Além da rotina caseira de cuidados com a pele, existem procedimentos dermatológicos mais incisivos que podem tratar manchas e flacidez em pessoas negras.

“Para a uniformização da textura da face acnéica e com tons irregulares, é possível se tratar com o uso de peeling, microagulhamento e laser específico para a pele negra. Mesmo que as pessoas com este tom de pele sofram com a flacidez de maneira mais tardia, por volta dos 40 anos, também existem métodos que ajudam na amenização deste sintoma, é o caso do ultrassom microfocado, da radiofrequência e da aplicação de bioestimuladores de colágeno”, sugere.