Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

Fobia social: Saiba como identificar e vencer a doença

27 de março, 2019
Jornal da Cidade BH Notícia boa também dá audiência!

Saúde. Em torno de 26 milhões de brasileiros (cerca de 13%) e 7% da população mundial sofre com o transtorno de ansiedade social ou fobia social, segundo estimativas apresentadas no Congresso Brasileiro de Psiquiatria em 2017.

Caracterizado pelos sintomas de ansiedade intensa e grande medo da exposição, avaliação ou julgamento de outras pessoas, a doença que também pode ser intitulada ‘antropofobia’, ainda pode provocar a sensação de boca seca, náusea, taquicardia, tensão muscular, tremor, rubor facial, sudorese e dentre outros problemas.

Ao se sentirem observadas, perseguidas ou criticadas, as pessoas que possuem o distúrbio podem apresentar os sinais da fobia a qualquer momento ou circunstância, seja em reuniões, confraternizações ou festas.

Leia também: Dentes mal alinhados podem ser tratados com o uso de aparelho invisível

Causas

Segundo o psiquiatra da Clínica Penchel e membro da Associação Brasileira de Psiquiatria, Sebastião Arli, a fobia social pode ocorrer em indivíduos que possuem traumas de convivência familiar; sensibilidade emocional e sentimental aumentadas; e problemas físicos, doenças crônicas ou deficiências.

“Pessoas nessa condição costumam ter baixa autoestima, complexo de inferioridade e serem inseguras e desconfiadas. Outras situações como a vivência de constrangimentos profundos; desilusões e frustrações em relacionamentos; e o temor em desagradar as pessoas, também podem ser estopins para a ocorrência de casos de fobia social”, aponta.

Sintomas

Por consequência da doença, os pacientes podem tentar se isolar cada vez mais das pessoas e com isso acarretar perdas e dificuldades na área social, profissional e pessoal. “Com o intuito de não se expor e ainda não passar por um estado de intensa angústia, a pessoa com fobia social chega a evitar e se recusar a participar de apresentações de trabalhos escolares ou palestras, pois para ela estas situações são sentidas como os piores pesadelos”, comenta.

Arli explica que na maioria das vezes, o distúrbio é acompanhado por outros transtornos de ordem mental, como por exemplo, a depressão e a dependência química. “O abuso de drogas se torna bastante comum nestas pessoas devido as propriedades desibinidoras destas substâncias”, ressalta.

Tratamento

De acordo com o psiquiatra, os tipos mais comuns de tratamento da fobia são os medicamentosos e os psicoterápicos. Os medicamentos proporcionam o domínio da ansiedade, e em alguns casos, também podem intervir em outros transtornos mentais relacionados a doença.

Já no âmbito psicoterápico, existem várias técnicas disponíveis e dentre elas a Psicoterapia Cognitiva Comportamental, que se mostrou como a de maior sucesso em quadros de fobia social.

“Na terapia cognitiva, o paciente aprende junto a um profissional qualificado, a identificar e se desvencilhar de pensamentos negativos, por meio do desenvolvimento de habilidades que ajudam no fortalecimento da autoconfiança e autoconhecimento. Ao longo da terapia, o paciente é exposto de forma gradual a situações sociais que lhe causam ansiedade, inquietação, estresse e temor. O objetivo deste método é fazer com que estas pessoas entendam como lidar com estes sentimentos e conheçam maneiras de cultivar uma visão mais positiva e resiliente sobre os obstáculos da vida diária”, orienta.

Leia também: Enxaqueca: mitos e verdades

Conforme Sebastião Arli, outras ações que podem contribuir para o combate a fobia social é a prática da auto-observação, automotivação, autovalorização e autoaceitação; o reconhecimento de suas limitações, problemas emocionais e psicológicos; a busca pelo conhecimento sobre a enfermidade e as formas superá-la; e a adoção de atividades interativas, recreativas e expressivas como a música, dança, teatro, poesia ou filantropia. “Algo que é preciso deixar claro, é a importância de que o paciente busque pelo auxílio médico o mais rápido possível, assim que notar os sinais da doença”, conclui.

Saiba mais sobre saúde na sessão Bem Estar, em nosso site.

Avalie este conteúdo


Sobre Jornal da Cidade BH:

Portal de notícias de BH e região, com informações sobre eventos empresariais, negócios, economia, política, cobertura social e muito mais.

×
Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!