Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

Como identificar uma urgência ou emergência em seu Pet?

27 de março, 2019
Jornal da Cidade BH Notícia boa também dá audiência!

Saúde. Os hospitais veterinários estão cada vez mais equipados para atender qualquer necessidade dos bichos de estimação. Mas, em casos de emergência, grande parte do processo depende da rapidez do tutor em identificar os sintomas alarmantes e levar seu pet a tempo para receber o atendimento necessário.

De acordo com o veterinário e diretor do Animed Hospital Veterinário, Dr. Marcelo Dayrell, primeiramente, é necessário saber a diferença entre urgência e emergência. “A primeira consiste em um perigo que pode ser alarmante no futuro, caso não seja identificado. Já a emergência implica em um cuidado imediato, o que depende muito do tutor agir corretamente em um primeiro momento”, revela.

Mas como identificar essas emergências?

“Se o animal estiver muito prostrado, com salivação excessiva associada a vômito e diarreia com sangue, deve-se encaminhá-lo imediatamente ao hospital veterinário. Além disso, se apresentar alterações neurológicas após trauma, como andar em círculos, perda de movimento dos membros e vocalização, também é indício de possíveis problemas”, conta Dayrell.

Ele esclarece entretanto, que as urgências não precisam da agilidade de uma emergência, mas podem significar uma preocupação futura. “Um sintoma não tratado de maneira correta, pode levar o animal a um quadro de emergência”, completa.

Dentre estes sinais estão manqueira com “frouxidão” no membro afetado (o que pode indicar uma fratura), alteração neurológica, como paralisia das patas traseiras, hemiparesia (paralisia de um lado do corpo), salivação leve com vômito ou diarreia associados, dificuldade respiratória, língua roxa, secreção purulenta na vulva, prostração, vômito, diarreia e inapetência.

No caso de intoxicação por ingerir veneno, é indicado que o tutor procure algo que ajude a identificar o que foi usado. “Vasculhar pela casa, na boca do animal, qualquer vestígio do que possa ter causado o envenenamento. Isso facilitará o veterinário a saber qual substância está agindo no organismo”, alerta o especialista.

Se o agente for produtos de limpeza, levar o recipiente para a clínica. No caso de uma intoxicação causada por algo em contato com a pele, banhar o animal com água fria, para tirar o excesso do veneno, com mínima absorção pelo corpo, pode ajudar a minimizar os problemas. De toda forma, deve-se levar o animalzinho imediatamente para o hospital.

Já no caso de animais que apresentam vômito, diarreia e prostração, estes podem receber soro caseiro, para ajudar a evitar a desidratação, mas também devem ser levados para tratamento médico veterinário hospitalar.

Os bichos que sofrem atropelamentos também precisam de atendimento emergencial. “O que pode ser feito para amenizar a dor é dar Dipirona (1 gota por quilo do animal) no caminho para o hospital”, pondera Marcelo. “Estes pacientes devem ser levados ao hospital de maneira rápida para receberem tratamento imediato, para uma possível cura. Na maioria das vezes, os animais chegam poli traumatizados e precisam de um atendimento especializado e correto para o sucesso no  tratamento”, conclui Dayrell.

 

Como identificar uma urgência ou emergência em seu Pet?
5 (100%) 1 voto[s]


Sobre Jornal da Cidade BH:

Portal de notícias de BH e região, com informações sobre eventos empresariais, negócios, economia, política, cobertura social e muito mais.