Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

Amor carente

19 de outubro, 2018
Por: Jornal da Cidade BH
Texto: Cristina Santos | [email protected] | www.cristinasantospsicologa.com
Jornal da Cidade BH Notícia boa também dá audiência!

Vida a dois. Você já deve ter ouvido muita gente falar: estou carente hoje. Preciso de atenção. Ninguém gosta de mim

Ou então seu próprio parceiro: você não está me dando atenção. Você nem me ligou. Ou nem passou uma mensagem. Você não prioriza o nosso relacionamento. Eu não sou importante para você? Você não gosta mais de mim?

Quanta cobrança. Quanta reclamação. Será que um relacionamento suporta toda essa pressão? Muitas vezes a pessoa que pede atenção não percebe que há um excesso no seu olhar, na sua maneira de lidar com a pessoa que está a seu lado, numa relação amorosa, e não de submissão ou dependência. Amar não é ficar colado ou esperar que o outro realize suas expectativas.

Atender essa “carência” do outro não significa amor ou mais amor, mas sim criar uma expectativa que com o tempo pode se tornar impossível de manter: o outro aceita isso talvez por medo de interferir na relação e evita falar, como um mau presságio que irá desconectar o casal. E não para se buscar melhores soluções e esclarecer o que está acontecendo.

Além disso, muitos casais se mantêm aglutinados através de conflitos, brigas, controle, constantemente, pois esse é também um jeito de manter a pessoa próxima, criando sempre tensão e uma suposta união, que é na verdade, esse amor carente: nunca o que se recebe é suficiente. Por exemplo, e para me fazer entender melhor, uma mulher para a qual a identidade principal é ser mãe, ela perde sua referência quando os filhos crescem, então ela dá a esses filhos “amor carente”.

Isso é, para que eles sempre precisem dela e assim ficam próximos. Na relação do casal acontece dessa mesma maneira: um ama o outro de forma carente para que o outro acredite que precise sempre dele, e não possa nem pensar em viver sem ele. Os excessos são vários: de cuidado, de zelo, de fazer coisas pelo outro, de querer ficar junto, não perder de vista, controlar, vigiar.

Essa dependência pela carência anula a pessoa de um, enquanto valoriza a do outro. Você pode até se sentir bem ao lado dessa pessoa, que é carente, pois a sua maneira de ser é valorizada por ela (medo de perder o outro). Mas isso é, na verdade, muita submissão.

Talvez algumas pessoas possam ter a ilusão que amor carente mantém um relacionamento amoroso, por anos e anos, feliz e em harmonia. Só que a exigência é grande demais e a armadura muito dura e pesada. Você arriscaria?

 

Avalie este conteúdo


Sobre Jornal da Cidade BH:

Portal de notícias de BH e região, com informações sobre eventos empresariais, negócios, economia, política, cobertura social e muito mais.

×
Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!