Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

“O Brasil sempre foi visto como um país de oportunidades”

09 de março, 2018

Entrevista. CEO da Vitallis Sanitas fala sobre a incorporação ao conglomerado internacional de saúde e expansão da atuação no Estado

Ser um bom profissional em uma área de atuação requer disciplina, paixão pelo que faz, estudo, sensibilidade para aproveitar oportunidades e ambição para crescer. Essas são características que acompanham a CEO das empresas da Organização Sanitas Internacional no Brasil, a contabilista com mestrado em Finanças, Alexandra Malagon. Aos 18 anos ela começou como aprendiz na organização e, hoje, tem uma carreira de sucesso.
Natural de Bogotá, Alexandra mora atualmente em Belo Horizonte e comanda a maior operadora de medicina de grupo do Estado, a Vitallis Sanitas. A empresa foi totalmente incorporada à Organização Sanitas Internacional em 2015. Como CEO da Vitallis Sanitas, Malagon tem administrado um ambicioso projeto de gestão de saúde nos moldes do eficiente modelo existente na Colômbia, o da atenção primária. Nesta entrevista, Alexandra conta mais detalhes sobre sua trajetória e atuação na Vitallis.

JORNAL DA CIDADE Como foi sua escolha pela área da gestão de saúde e como se deu o crescimento na empresa?
ALEXANDRA MALAGON Na Colômbia, a área de saúde é muito forte. Temos um sistema considerado modelo na América Latina. Sempre gostei de números e fiz um curso técnico em contabilidade no SENA (Serviço Nacional de Aprendizagem). Como parte do curso, fiz um estágio de um ano na Organização Sanitas Internacional. Eu tinha 17 anos. Ao fim do estágio, fui contratada. Ao mesmo tempo entrei para a Universidade de Ciências Contábeis Gran Colômbia. Me formei e fiz um concurso interno. Sempre pensei em fazer uma carreira na empresa, por isso batalhei muito e dei o meu melhor.
Aos 23 anos assumi como analista a área de orçamentos e planejamentos na sede principal. Depois de oito anos na empresa, assumi como coordenadora administrativa. Em junho de 2012 vim para o Brasil em um processo de expansão da Organização Sanitas no País. Em 2014 cheguei a Belo Horizonte depois da compra majoritária da Vitallis. Vim como vice-presidente e agora, como CEO, sou responsável pela expansão do Grupo Sanitas no Brasil.

Por que investir em Minas Gerais e no Brasil?
O Brasil sempre foi visto como um país de oportunidades. Acreditamos que o nosso modelo de gestão da saúde na Colômbia possa apoiar o sistema de saúde no País.
O projeto Brasil da Organização Sanitas Internacional é ambicioso, um investimento da ordem de R$ 220 milhões até o momento. Eu fui acionada para administrar esse recurso.

Como se deu o processo de transição da empresa mineira para o grupo Sanitas Internacional?
A primeira ação foi entender a cultura da empresa. Não impusemos o nosso modelo de trabalho. Foi um processo tranquilo, profissional e com a participação efetiva dos colaboradores. O clima na empresa já era muito bom, com funcionários que vestem a camisa. Começamos a crescer juntos. Passamos então a promover a mudança de um modelo de um gestor único para um empresarial, corporativo com processos bem definidos. Ao nome Vitallis foi incorporado o Sanitas.
A Vitallis Sanitas já tinha 220 mil vidas no País. Eram necessários investimentos em infraestrutura. Passamos então a estabelecer uma cultura de planejamento. Começamos, paralelamente, a implantar um modelo de gestão em que acreditamos. O nosso modelo colombiano é baseado na atenção primária que tem o médico da família como referência, que acompanha e passa a conhecer o histórico do paciente.
Em 2014 ainda incorporamos a carteira do Santa Casa Saúde que tinha mais de 60 mil vidas. O trabalho em Belo Horizonte só crescia e dava resultados positivos. Em 2015 efetivamos a compra total da Vitallis que foi finalizada em março de 2016.

Quais os planos da OSI para o futuro? Ela não tem receio da crise no País?
A crise não nos assusta, pelo contrário, a enxergamos como uma oportunidade de crescimento. Sabemos que o País já passou por momentos mais difíceis em sua história e que esse cenário vai passar. Temos um planejamento 2018/2020 para toda a organização e da Vitallis Sanitas para outras cidades do interior de Minas Gerais e também outros estados. Acreditamos que o Brasil tem tecnologia em saúde, bons profissionais e grandes centros de pesquisas. Achamos que é o momento de realizar parcerias com a esfera pública e juntos ajudar o modelo de gestão da saúde no país.
No exterior a expansão também continua, inicialmente estamos na Flórida, Nova Jersey e Connectitut (EUA), México e Filipinas. Estamos expandindo também para Vietnã, Rússia e Indonésia.

Foto: Divulgação