Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

Motoristas podem gerar a CNH Digital pelo celular ou tablet

04 de janeiro, 2019
Foto: Reprodução/Internet
Jornal da Cidade BH Notícia boa também dá audiência!

Gadgets. Nova tecnologia possibilita obter o documento eletrônico pelo celular sem a necessidade do comparecimento ao Detran ou do uso de certificado digital

O Ministério das Cidades junto com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) desenvolveram ferramenta para facilitar a vida dos motoristas. A Carteira Nacional de Habilitação Digital (CNH) poderá ser obtida pelo celular ou tablet por meio de aplicativo.

A nova funcionalidade da CNH Digital permite gerar o documento eletrônico remotamente sem a necessidade do comparecimento ao Departamento de Trânsito (Detran) ou do uso de certificado digital. Sendo uma maneira mais fácil, cômoda e prática aos brasileiros.

Como fazer

Para ter acesso à novidade, é necessário ter CNH com QR Code impresso no verso do documento e fazer o download do aplicativo Carteira Digital de Trânsito (CDT), disponível gratuitamente na Google Play e App Store. Atualmente, mais de 26 milhões de brasileiros possuem o documento com o código de barras bidimensional.

Até o momento, cerca de 620 mil CNHs digitais foram emitidas em todo o país. O ministro das Cidades, Alexandre Baldy, acredita que essa inovação da CNH Digital vai estimular ainda mais a procura pelo documento digital.

“A necessidade de atendimento presencial era uma exigência que limitava a procura do cidadão pelo documento digital. Nem todos os motoristas tinham tempo para ir a um posto de atendimento do Detran. Mas, agora, ficou muito mais rápido e prático, facilitando a vida das pessoas”, destaca Baldy.

Segurança

Existem diferentes camadas no aplicativo que garantem a segurança do processo de emissão do documento. “Primeiro, o dispositivo móvel realiza a leitura e validação do QR Code, impresso na parte interna da CNH em papel. Depois, o cidadão passa por uma etapa de validação biométrica facial, garantindo a correta identificação da pessoa”, explica a diretora-presidente do Serpro, Glória Guimarães.