Jornal da Cidade BH | Notícia boa também dá audiência!

Mesmo com alta na demanda, lojas seguem abastecidas em Minas

19 de março, 2020
Jornal da Cidade BH Notícia boa também dá audiência!

Covid-19. Com os desdobramentos e orientações dos últimos dias para prevenção da propagação do novo coronavírus, a Associação Mineira de Supermercados (AMIS) realizou consulta em todo o Estado com empresas supermercadistas associadas que são referência em suas regiões. Sendo assim, estabeleceu alguns pontos.

  • O abastecimento está normal nos supermercados mineiros. A única exceção é para o item ÁLCOOL GEL, que teve excesso de demanda e há dificuldade de fornecimento por parte dos fabricantes.
  • Nos últimos cinco dias foi verificado crescimento de demanda por outros itens, especialmente produtos de higiene pessoal e limpeza doméstica e alguns tipos de alimentos, mas nada que provoque desabastecimento das lojas.
  • A AMIS e seus associados estão em contato direto com as empresas fornecedoras de produtos e a expectativa é de que este quadro de normalidade e de garantia de abastecimento se mantenha.
  • Não há necessidade de o consumidor formar estoques, o que só contribuiria para um desnecessário descontrole do abastecimento.]

De acordo com a AMIS, as lojas supermercadistas estão com seu horário de funcionamento normal e sugere a associados e consumidores que mantenham os cuidados e ações recomendados pelas autoridades de saúde para evitar a propagação do vírus.

Segundo Alexandre Poni, presidente da AMIS, “não há necessidade para o consumidor formar estoques, o que contribuiria para um descontrole de abastecimentos”. Confira abaixo o comunicado completo de Poni.

Produtores Rurais

Em âmbito nacional surgem outras preocupações que foram sanadas pela Ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento). De acordo com a ministra, a agropecuária brasileira segue produzindo com êxito e abastecendo o mercado. “O Brasil é um grande celeiro, produtor de alimentos, e não precisamos ter nenhuma expectativa negativa de que não teremos alimentos para nosso povo”, afirmou, referindo-se às mudanças na rotina dos brasileiros, impostas pela pandemia do coronavírus.

A ministra ressaltou, durante evento no Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), que a população deve se manter tranquila em relação à oferta de produtos alimentícios no varejo e elogiou os produtores rurais. “São os nossos heróis, que neste momento estão lá (no campo) dando duro, produzindo e realizando a maior safra colhida neste país, batendo recorde um sobre o outro para alimentar nossa população”.

A estimativa da safra de grãos 2020/2021 deve ser de 251,9 milhões de toneladas, 4,1% acima da colheita passada, segundo levantamento divulgado no último dia 10 pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), ligada ao Mapa.

Monitoramento de rotina feito pelo Ministério não vislumbra qualquer indício de problema no abastecimento de produtos alimentícios no país. Além do trabalho do produtor no campo, Tereza Cristina disse que o desempenho positivo registrado atualmente pela agricultura brasileira se deve à ciência e tecnologia desenvolvida principalmente pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Mapa.

Convênio

A empresa assinou hoje com a Financiadora de Estudos e Pesquisas (Finep), instituição vinculada ao MCTIC, acordo que visa identificar convergências de atuação entre as duas partes que estimulem a incorporação de inovações desenvolvidas pela Embrapa na estratégia de empresas. Essa ação deverá fortalecer os parceiros privados da Embrapa com financiamento da Finep, propiciando a expansão de suas tecnologias para o mercado.

O presidente da Embrapa, Celso Moretti, destacou que a agricultura brasileira é “movida à ciência” e que, nessas últimas quase cinco décadas, o Brasil deixou de importar para ser um dos maiores produtores e exportadores. “Hoje nós alimentamos sete Brasis e só tivemos isso porque o país tomou a decisão de investir em ciência”.

Ele observou que essa cooperação irá trazer maior proximidade do setor privado com a pesquisa e disse que, desde janeiro de 2019, seguindo orientação da ministra Tereza Cristina, a empresa tem desenvolvido um trabalho firme para estreitar essa aproximação. “Saímos de 6% de projetos da carteira em parceria com o setor privado e quase quadruplicamos, quase 20%”.

O ministro Marcos Pontes (MCTIC) disse que a parceria tem uma “importância gigantesca para o país” e que ter uma empresa como a Embrapa é motivo de grande orgulho para os brasileiros. “Por todo esse trabalho que tem sido feito no desenvolvimento do agronegócio; por tudo que isso representa para o país e para o planeta em termos de segurança alimentar. E isso é feito através da ciência”, afirmou.

Pelo acordo, serão destinados R$ 100 milhões em recursos reembolsáveis para contratações nos próximos dois anos. As empresas poderão acessar a linha de financiamento reembolsável do Programa Finep Conecta, que oferece condições vantajosas para empresas que investem em Pesquisa e Desenvolvimento em parceria com Instituições de Ciência e Tecnologia.


Sobre Jornal da Cidade BH:

Portal de notícias de BH e região, com informações sobre eventos empresariais, negócios, economia, política, cobertura social e muito mais.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se identificar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Avatar
Deixe um comentário